Quem Somos Notícias Beleza Internacional Culinária Saúde e Bem estar Direitos da Mulher Mulher na Política
   

 

 
Feed de Notícias em Destaque
 

Blosson Ville tem os melhores kits de perfumes para presentear sua mamãe!

 

Acesse nosso site

 
 

OAB-SE promoverá amanhã, terça-feira ( 5 de junho) audiência pública sobre participação das mulheres na política
 

A OAB/ Sergipe, através da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher realizará, no dia 05 de junho às 19h, no auditório da OAB/SE, localizado na Travessa Martinho Garcez, 71, centro de Aracaju, um evento com o objetivo de oportunizar espaços de debate e reflexões propositivas, envolvendo movimentos sociais, partidos políticos, pesquisadores, estudantes

 

professores, profissionais de órgãos públicos e privados, e demais interessados nas discussões e ações voltadas para os novos recortes presentes na sociedade que não podem ficar fora da pauta política, especialmente, como assegurar a ‘qualidade da inclusão’ das mulheres nos espaços de poder, frente as inúmeras desigualdades de gênero entre homens e mulheres, ainda existentes em nosso viver social. O evento terá como tema “Mulher e Participação Política” e discutirá a necessidade de efetiva inserção da Mulher nos espaços de poder, especialmente nas eleições de 2018. Realize a sua inscrição através do site da Escola Superior da Advocacia.
www.esasergipe

 
 
 
 
 
 

Sargento Eliane assassinada hoje com tiros ao reagir um assalto

 

A sargenta militar Eliana Costa da Silva, que trabalhava na Assembleia Legislativa de Sergipe foi barbaramente assassinada na tarde de hoje, (31), feriado de Corpus Christi, após ter reagido a uma tentativa de assalto.
O assassinato da militar foi comunicado pela assessoria da Alese, ao informar que a sargento prestava serviço na Alese, foi atingida com um tiro após reagir ao assalto no Conjunto Orlando Dantas em Aracaju.


As informações são de que dos marginais anunciaram o assalto e nesse momento a militar teria reagido e por conta disso os elementos efetuaram os disparos que atingiram a sargenta, que chegou a ser socorrida e encaminhada para o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), mas não resistiu e morreu. Na nota, a assessoria diz que “a sargento Eliana, que trabalha na Assembleia, conosco, acaba de falecer, após ter reagido a um assalto, sendo alvejado com um tiro na cabeça…


foi conduzida ao HUSE mas veio a óbito… a Assembleia Legislativa de Sergipe, através do comando militar está à frente para prestar a assistência à família no que for preciso”.


A SSP também emitiu nota informando que a Secretaria da Segurança Pública determinou que o Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) da Polícia Civil titularize as investigações relacionadas com o possível latrocínio.


Qualquer informação pode ser passada ao Disque Denúncia 181 ou 190. A identificação do denunciante será mantido sob o mais absoluto sigilo.


Velório


Presidente Luciano Bispo, atendendo ao pedido de familiares e colegas policiais da Sargento Eliana Costa, autoriza a realização do velório na Assembleia Legislativa de Sergipe. O tenente coronel Américo, e o 1º Tenente Melo estão no IML, junto aos familiares e tão logo o corpo seja liberado, o mesmo será levado para a sede do Poder Legislativo, Casa dos sergipanos!

 
 
 
 

Senac Sergipe vence concurso de novos estilistas no Ceará


Alunas da primeira turma de Estilista de Moda do Senac apresentaram uma coleção inspirada

na arte do sergipano Arthur Bispo do Rosário

 

Um evento de pura comemoração para do Senac Sergipe! A instituição conquistou o primeiro lugar no Concurso de Novos Estilistas do Dragão Fashion Brasil, considerado o maior evento de moda autoral da América Latina, que aconteceu em Fortaleza/CE. As alunas da primeira turma de Estilista de Moda do Senac apresentaram uma coleção inspirada na arte do sergipano Arthur Bispo do Rosário. A plateia aplaudiu em pé um desfile vibrante, conceitual e colorido. De quebra, a equipe trouxe para Aracaju o tão sonhado troféu, concorrendo com instituições de ensino superior e técnico de todo o Brasil que se inscreveram no concurso.

Conquistaram a vitória as alunas Ahlana Ramalho, Ericka Guedes, Gicelma Pádua, Maria Clara Melo e Simone Sabino, orientadas durante todo o processo pelo instrutor e estilista Altair Santo. Também formaram a comitiva que viajou à Fortaleza os instrutores João Araujo e Zélia Carvalho, a gerente do Núcleo de Desenvolvimento e Implementação Educacional, Socorro Melo, e o diretor do Senac Sergipe, Paulo do Eirado. Ana Elisa, rendeira do município de Divina Pastora, também compôs a equipe e expôs o seu trabalho no stand “10 Talentos Senac”.

O concurso ocorreu dia 12 de maio. O primeiro lugar no “Concurso dos Novos” do Dragão Fashion Brasil é um reconhecimento ao talento e à dedicação das alunas e também reflexo do investimento que o Senac tem feito nesta área. As primeiras turmas de Estilista aconteceram no ano passado, quando foi inaugurado e novo e moderno Studio de Moda. Desde então, outros cursos do segmento têm ganhado espaço na programação, ao passo em que o Senac tem conduzido seus alunos ao mercado de trabalho e incentivado sua participação em eventos de grande visibilidade como este.

 
 

“O que nos realiza é ver o aluno protagonizando grandes tarefas e atuações fora dos nossos muros. Quando nosso egresso se realiza no mercado de trabalho e sua atuação teve grata contribuição do Senac, nos sentimos também realizados. Uma maneira de avaliar nossa atuação pedagógica é ver o que está acontecendo com os que passaram pelo Senac. E lá nós vimos que nossas alunas estão fazendo um trabalho muito forte, harmonioso, rico e culturalmente vinculado ao nosso Estado, que tanto precisa disso. Foi uma experiência riquíssima participar desse desafio e sair vitorioso dele, principalmente sendo o único integrante do Sistema S selecionado para concorrer com grandes universidades”, declarou Paulo do Eirado.

“O nível dos desfiles foi altíssimo, mas nós merecemos a vitória, especialmente nossas alunas, que tiveram uma participação proativa e corajosa e o apoio incondicional da instituição, o que fez toda a diferença. Estão todos de parabéns, alunos e área pedagógica do Senac, particularmente Altair Santo, que mostrou sua capacidade e também engradece nossa instituição. Fica um agradecimento especial ao Senac Ceará pela acolhida e pela forma como ele esteve presente no evento. A marca Senac estava muito evidente, inclusive com stands, oficinas e cursos, e todos os colegas do nordeste que estiveram presentes divulgando o artesanato da região”, reconheceu o diretor.


O concurso


Ao todo, 23 instituições de ensino superior e técnico de todo o Brasil inscreveram seus trabalhos para concorrer a uma vaga no “Concurso dos Novos” do Dragão Fashion Brasil. Apenas oito delas foram selecionadas. Em jogo, R$ 10 mil para o primeiro lugar, troféus e a oportunidade de levar o talento da instituição e de seus alunos para a passarela do evento.


Além do Senac/SE, foram selecionados a Faculdade Ateneu (CE), Faculdade Santa Marcelina (SP), Instituto Federal do Rio Grande do Norte – Campus Caicó, Universidade Federal do Ceará, Universidade Federal do Piauí, Universidade Estácio de Sá (RJ) e Universidade Estadual de Santa Catarina.


“Participar do Dragão Fashion Brasil foi algo incrível, uma oportunidade que vários designers de moda do Brasil gostariam de ter. É uma nova forma de pensar moda e que abre portas para esses talentos que precisam ser descobertos. Orientar as alunas no projeto foi uma tarefa gratificante. O elo que nos une é a paixão pela moda. Foi um mês de muita dedicação, luta e trabalho, nos processos da pesquisa, do pensar, da compra dos materiais, prototipagem, modelagem, confecção, até o grande dia. E o desfile foi incrível. Estar numa sala de nível profissional, com capacidade para 800 pessoas sentadas e centenas de fotógrafo dos principais veículos de comunicação do país, e até de fora, foi uma experiência emocionante para essas meninas que estão começando suas carreiras. E o público ficou encantado com o nosso desfile, se identificou desde a primeira peça até a última, e, ao final, nos aplaudiu de pé”, narrou o instrutor Altair Santo.


“Participar do evento nos trouxe a certeza da missão cumprida enquanto instituição de formação profissional que acredita no potencial de seus alunos, bem como incentiva a visão empreendedora de jovens talentos. Pensar moda é inovar, olhar com criatividade. Foi um aprendizado significativo e prazeroso”, disse a gerente Socorro Melo.


As vencedoras


“Dedico esse prêmio in memoriam a minha mãe, Maria José de Pádua, que era costureira e me iniciou no mundo da moda. Ela me fez ver o quanto era importante desenvolver habilidades como bordar e crochetar, e que eu posso usar isso de forma exclusiva nas minhas criações” – Gicelma Pádua.


Equipe do Senac Sergipe“Aquele foi o momento mais importante da minha jornada na moda, pois senti que consegui chegar onde queria. Fui tomada por um mar de sentimentos de todos os anos em que sempre sonhei em mostrar as minhas ideias. Isso tudo me engrandeceu como profissional pois, assim, eu pude acreditar mais em mim, na minha capacidade e criatividade, nas pessoas e na escola que sempre me apoiaram” – Maria Clara de Melo.


“O nosso diretor tinha falado que não importava o primeiro lugar, pois já tínhamos feito o melhor que era estar lá. Mas ficamos extremamente felizes com o prêmio para podermos presentear o Senac Sergipe, que nos apoiou incondicionalmente e não mediu esforços para realizarmos esse sonho” – Simone Sabino.


“Quando fomos selecionados para a última etapa, foi uma grande surpresa pra mim, pois estávamos concorrendo com escolas de moda de todo Brasil, inclusive com as melhores. Cada integrante do nosso grupo deu o melhor de si para a construção da coleção, com o fundamental apoio do Senac Sergipe. Foi muito emocionante e gratificante levar o nome do nosso Estado para um dos maiores eventos de moda do país e conseguir trazer o prêmio de primeiro lugar. Foi uma grande oportunidade para minha vida e carreira” – Ericka Guedes.


“A equipe é forte, topou o desafio. Somos cinco estilistas muito talentosas, cada uma com seu diferencial, sua carga de conhecimento, e abraçamos o projeto com muito amor, muita vontade de fazer dar certo. O momento do desfile foi a realização de um sonho de infância; minhas avós eram costureiras e eu cresci respirando moda” – Ahlana Ramalho.

FONTE: FECOMÈRCIO

 
 
 
 

Assembleia Legislativa de Sergipe debate hoje registro compulsório de câncer de regulamentação do prazo máximo de

30 dias para diagnósticos

 


Na semana em que será celebrado o Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher, Sergipe debaterá a urgente necessidade de adoção de um registro compulsório de câncer e a regulamentação do prazo máximo de 30 dias para diagnóstico da doença na rede pública. O encontro acontecerá hoje, dia 29, a partir das 10h, na Assembleia Legislativa de Sergipe, e será presidido pela deputada estadual Goretti Reis.


O encontro faz parte de uma série de audiências que acontecerão na mesma data em 9 estados brasileiros com o objetivo de discutir a implementação de políticas públicas em prol do combate ao câncer de mama. A ação é promovida pela Associação dos Amigos da Oncologia – AMO e pela Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA) e conta com o apoio do Go All e da União Internacional de Controle do Câncer (UICC).


Além dos temas em questão, o Ciclo de Debates revisitará temas já apresentados pela Associação e pela Federação em anos anteriores ( em junho de 2015 e abril 2017), abordando assuntos omo o acesso a tratamentos adequados do câncer de mama em seu estágio mais avançado, conhecido como metastático, e a inclusão no SUS dos medicamentos trastuzumabe e pertuzumabe para esse tipo de câncer, mesmo antes da portaria anunciada pelo Ministério da Saúde em agosto de 2017, e que foi uma importante conquista de pacientes com a contribuição desse trabalho.
 

REGISTRO DE CÂNCER E DIAGNÓSTICO ÁGIL

 

 

Atualmente, no Brasil, existem ao menos três formas de contabilizar casos de câncer: o registro por base populacional; o registro de câncer hospitalar; e o Sistema de Informação do Câncer (SISCAN), mas essas plataformas não oferecem uma visão unificada do panorama da doença nos sistemas público e privado, além de a coleta de dados ser incompleta e não obrigatória.


O projeto de lei do registro compulsório ou obrigatório já foi aprovado na Câmara dos Deputados e foi aprovado por unanimidade na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado. Agora, segue para aprovação no Plenário do Senado Federal. Além da adoção do registro compulsório, os debates abordam a necessidade de maior agilidade nos processos de diagnóstico oncológico a partir da suspeita de câncer.


“Existem casos de espera para confirmação do câncer que levam meses entre os pacientes da rede pública, e mais da metade deles têm a confirmação do diagnóstico quando o câncer já está em estágio avançado. Se já conseguimos regulamentar o prazo máximo para o início do tratamento com a Lei dos 60 Dias, podemos também determinar um prazo limite para que se realizem todos os exames de diagnóstico e seus respectivos resultados”, reforça a presidente-voluntária da FEMAMA, a médica mastologista Maira Caleffi.


PROGRAMAÇÃO DO CICLO DE DEBATES


-Abertura: Deputada Estadual Goretti Reis
-Participação Especial: Kátia Margereth Lins, diagnosticada com câncer de mama metastático e assistida pela AMO
-Palestra sobre “A necessidade de diagnóstico precoce e do tratamento do câncer de mama” com o médico oncologista clínico Michel Fabiano Alves
-Palestra sobre “A importância do registro compulsório do câncer”, com José Erinaldo Lobo de Oliveira – representante em Sergipe da Sociedade Brasileira de Registro Compulsório

 
 
 
 

Ativista Cristiane Nogueira celebra 15º aniversário da Ong
Canto Vivo com passeio “Dia Verde”
 

 
 

Com saída da Orla Pôr do Sol, no Mosqueiro, o Catamarã de Prego adentrou as calmas águas do Rio Vaza Barris, com saída às 08h, no sábado, dia 26, conduzindo cerca de 50 pessoas para passeio por praias e ilhas do litoral sul de Aracaju, denominado “Dia Verde”.


Foi um dia de contato com a natureza e visita a lugares pitorescos, além de uma oportunidade de reflorestar as margens do rio, visando à preservação do meio ambiente.


Na bagagem, além de muita alegria, o grupo usufruiu de delicioso buffet a bordo da embarcação, com muita música. O passeio representou a comemoração dos 15 anos da ONG Canto Vivo, fundada por Cristiane Nogueira em Sergipe.

O Dia Verde foi tranquilo e proporcionou bem estar aos visitantes. A primeira parada foi na Ilha dos Namorados, onde os ativistas puderam se divertir com stand up e apreciar as belezas do local e tomar banho, em seguida, o catamarã parou na Ilha do Viral e Croa do Goré, retornando para Aracaju.
 

ONG Canto Vivo e Mídia


Por convite da ativista Cristiane Nogueira, o fundador do portal de notícias www.agenciasergipe.net.br, Samuel Barboza e esposa, jornalista Cláudia Meireles, editora do site www.exclusivamulher.com, estiveram no passeio, juntamente com o casal de empresários, contador Josevaldo Mota, esposa Andreia Mota e filha Franciele.


A jornalista Cláudia Meireles colabora com a divulgação da ong em Sergipe há mais de 6 anos, sempre propondo oportunidades para que a instituição em Sergipe seja reconhecida e sua causa em prol do meio ambiente seja valorizada pela sociedade.


O trabalho efetuado pela ONG Canto Vivo é de suma importância para o meio ambiente. A mata ciliar é a vegetação que acompanha o curso d’água, ou seja, é a cobertura nativa que fica às margens dos rios, lagos, igarapés, represas e olhos d’água. O nome refere-se ao fato dela funcionar como um cílio, que protege os olhos contra a poeira, mas nesse caso defende os rios contra o assoreamento. Assim, evita que ocorra o alargamento desses locais e, consequentemente, a diminuição da profundidade da água.

 

 


A importância da mata ciliar é enorme para a flora e para a fauna. Ela funciona como uma espécie de filtro e impede a contaminação das águas por produtos poluentes, como os usados na agricultura, e possibilita a absorção de nutrientes como nitrogênio, fósforo, cálcio e magnésio.


Além disso, permite que os animais silvestres desloquem-se de uma região a outra para buscar alimentos e acasalar. Em algumas localidades, em que a biodiversidade é grande, é possível encontrar plantas e animais raros.

 
 
 
 

Workshop de Finanças e Liderança para

Mulheres Empreendedoras

 

A Fecomércio-SE – Federação do Comercio do Estado de Sergipe por meio da Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios- CMEG, realiza hoje, sexta-feira, 25/05, no auditório do Sesc Centro, o I Workshop Finanças e Liderança para Mulheres Empreendedoras e Gestoras de Negócios.
O evento atende às demandas prioritárias elencadas pelas empreendedoras que participaram do 1º Encontro de Mulheres Empreendedoras e Gestoras de Negócios de Sergipe, realizado pela CMEG nos dias 23 e 24 de março, no Riomar Shopping.


PROGRAMAÇÃO
8H: Credenciamento
9h: Abertura
9:30: Palestra de abertura com a Elisângela Acyole – membro da CMEG, representante da ACESE.
10:30: Oficina Técnica de Finanças – Eliane Moura Gascón, Superintendente Estadual de Varejo e Governo, do Banco do Brasil, em Sergipe.
12:30: Intervalo para almoço
14:00: Oficina Técnica de Liderança com a professor e Consultora, Telma Delmondes – membro da CMEG, representante da ABRH-SE.
16:30: Sorteio de Brindes
17:00: Encerramento com Coffee Break

 
 
 
 

Jornalista catarinense Cristina Rochadel receberá Título de

Cidadã Sergipana na quinta-feira, 24

 

A jornalista catarinense Cristina Rochadel Moreira receberá nessa quinta-feira, dia 24 de maio, às 11h, o Título de Cidadania Sergipana. Ela é natural de Lages, Santa Catarina, filha do oficial do Exército, capitão Jesus (Orlando de Jesus da Silva Moreira) e Zenaide Rochadel Moreira (in memoria). É a segunda filha de 6 irmãos, Orlando, Marcos, Cátia, Júlio e Carla.

A catarinense chegou a Sergipe em 1984 devido a mais uma transferência de seu pai. Cristina morou nos quatro cantos do Brasil e o último Estado foi Sergipe, que de início não foi bem aceito, afinal de contas estava mais uma vez deixando para trás parentes e amigos.

Contra gosto Cristina teve que se adaptar a mais essa mudança de cultura, costumes, escola e pessoas. Meio insatisfeita não tinha noção da peça que Sergipe a pregaria. Afinal aqui alcançou suas maiores conquistas, profissional e pessoal, enfim, realizou o sonho de ser mãe de Gilberto Doria Dantas Neto (31) e Pedro Rochadel Moreira Aragão Dantas (28), seus maiores tesouros, suas maiores conquistas, seus maiores presentes, seus sergipanos.
Com os filhos ainda pequenos resolveu voltar para a sala de aula e fazer o vestibular para jornalismo e em seguida pós graduação em Comunicação Integrada na Unit.

 

Desde 1999 vem atuando na área, em especial em assessoria de comunicação. Assumiu assessorias de pastas bem problemáticas, a exemplo da Segurança Pública, o início de tudo. Também atuou na Saúde de Aracaju, Emsurb, Agricultura, além da assessoria, secretária adjunta e secretária de Comunicação de Nossa Senhora do Socorro. Participou da equipe de jornalismo de diversas campanhas eleitorais para prefeito e governador. Há 10 anos está como assessora da deputada estadual Goretti Reis. Por onde passou procurou formas de beneficiar o sergipano que agora são seus conterrâneos. Tem orgulho dessa terra que agora é sua de fato e direito.

 
 
 

Educação é a chave para as mulheres abrirem portas no

mercado de trabalho


Quanto mais conhecimento, mais chances elas têm de competir por melhores vagas e salários

 

Não tem jeito. Ser mulher é se dividir entre casa e trabalho e, muitas vezes, também reservar horas do dia para a educação. Correr atrás de formação é de fato o único jeito de reverter as estatísticas. Em média, elas continuam ganhando menos do que os homens, apontam dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Educação é, portanto, o único caminho para a inserção feminina no mercado de trabalho. Quem garante é Suellem Silva Fortunato, 28 anos, de Salvador, que viu sua vida ser transformada após a formatura. Com diploma de Direito em mãos, ela foi à luta. Pediu demissão na empresa onde era atendente de telemarketing e, depois de muitos anos, conseguiu uma vaga em um escritório de causas previdenciárias. Mas não foi fácil.

Suellem é a primeira de uma família de 29 tios a conquistar um canudo. Ela só conseguiu bancar a faculdade graças à bolsa do Educa Mais Brasil. "Na época, eu ganhava R$ 600 como atendente de telemarketing e a mensalidade era cerca de R$ 900", lembra.

Para Suellem, o 8 de março, Dia Internacional da Mulher, é de comemoração, mas também uma data importante para fazer um grande chamado. "Independentemente das dificuldades, temos que estudar. Essa é a única garantia de que vamos ocupar cada vez mais e melhores espaços", avalia.


Quem compartilha o mesmo pensamento é a engenheira de produção Daniele Mary Antal, 34. Ela lembra que aprendeu em casa que o conhecimento é um bem precioso. Para ela, entrar na faculdade era o passaporte para crescer profissionalmente. "Eu já trabalhava com engenharia e bastou me formar para conseguir uma posição melhor na empresa", comemora.

Daniele é de Cornélio Procópio, no Paraná, mas vive em São Paulo há 6 anos. Para ela, arcar com a mensalidade de uma faculdade integral era praticamente impossível, já que só o custo de vida na capital paulista já é alto. Sem cogitar desistir, ela também foi atrás de uma bolsa de estudo do Educa Mais e conseguiu 40% de desconto na mensalidade. "O programa me possibilitou fazer o curso e abriu novas portas", afirma.

Para Daniele, o mercado está em ascensão para as mulheres, mas é preciso se dedicar. "Antes, não havia muitas estudantes na Engenharia, era mais um público masculino. Mas isso vem mudando, o mundo vem mudando", afirma. Ela ressalta a importância de se preparar para competir no mercado de trabalho. "Meu conselho: estude independentemente da área, o conhecimento sempre vai abrir portas", recomenda. Daniele leva tão a sério esta ideia que já traçou muitos planos. O primeiro é estudar inglês e depois investir em uma pós-graduação na área de marketing.

Mais estudo, mais emprego

A pedagoga Lileane Silva Santos teve sua história marcada de fato pela educação. Ela foi alfabetizada aos 11 anos pelo pai e, sob essa influência, compartilhou seu conhecimento com os irmãos. Era sempre ela quem ajudava nas tarefas de casa e levava o mundo das letras para toda a família. Diante de toda essa intimidade com o tema, não havia profissão que combinasse mais com seu perfil do que a de professora. "Educação é tudo na vida de uma pessoa", define.

Ela tentou diversas vezes ingressar na universidade através do Enem. Mas só conseguiu ao se cadastrar no Educa Mais Brasil e ganhar uma bolsa de 50% de desconto no curso de Pedagogia. A partir dali, viu seu sonho mais perto de se tornar realidade. "Foi tudo com muito esforço. Na época, meu filho tinha três anos e tive de ir atrás de babá para que eu pudesse estudar. Várias vezes precisei levá-lo para faculdade comigo", lembra.

Conciliar estudo e maternidade, aliás, não foi uma tarefa fácil. "Sentia muita dificuldade em ter de me separar do meu filho para estudar, mas não pretendo parar. Quero fazer Psicologia, contando, de novo, com apoio, do Educa Mais Brasil. Sou muito grata ao projeto".

O caminho para as mulheres reduzirem a desigualdade de gênero é longo e passa pela Educação. Mas esse dever de casa elas já estão fazendo. Segundo o IBGE, 15% das mulheres têm ensino superior completo, enquanto 11,9% dos homens concluíram a graduação. Mesmo assim, em média, no Brasil, eles recebem salários maiores do que elas. Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), de 2015, a mais recente e completa, aponta que o rendimento médio dos homens é de R$ 2.012 e das mulheres de R$ 1.522.

O Educa Mais Brasil concede bolsas de até 70% de desconto nas mensalidades. O processo de inscrição é muito simples. Basta acessar www.educamaisbrasil.com.br e pesquisar escolas de seu interesse. São mais de 500 mil bolsas disponíveis. Quer conhecer mais sobre o programa? Confira o canal do Youtube do Educa Mais Brasil.

 

 
 
 
 

Dominantes, Ágatha e Duda batem suíças e são campeãs

na etapa de Itapema


Dupla brasileira faz 2 a 0 nas suíças Vergé-Dépré e Heidrich, com parciais de 21/19 e 21/17 em 36 minutos de confronto e levam a taça em Santa Catarina para delírio da torcida

 

 

Ágatha e Duda fizeram uma exibição de gala diante das suíças Vergé-Dépré e Heidrich. Dominantes, elas só precisaram de 36 minutos para fechar o confronto da decisão em 2 a 0, parciais de 21/19 e 21/17, e conquistaram a etapa quatro estrelas de Itapema, em Santa Catarina, válida pelo Circuito Mundial de vôlei de praia.

- Estávamos com vontade de ganhar. A gente queria muito. No Brasil dá mais vontade ainda. Toda nossa família esteve aqui com a gente, minha mãe, meu pai, minha sogra. Um dia mágico, foi perfeito - disse Ágatha.

- O campeonato foi todo especial. Estava engasgado. A gente só perdia no detalhe, jogos difíceis por 2 a 1. Foi incrível voltar a vencer. Tenho certeza que o que passamos aqui vai ser essencial também para nosso futuro - comentou Duda.

O terceiro lugar da etapa ficou com Bansley e Wilkerson, do Canadá. Elas derrotaram as brasileiras Maria Elisa e Carol Solberg pelo placar de 2 a 1, parciais de 18/21, 21/18 e 11/15 em 52 minutos de confronto.

 

O jogo

O confronto começou bem disputado. Ágatha e Vergé-Dépré travavam um duelo particular. Na base da técnica, as brasileiras superavam a altura do time rival. Heidrich, com 1,90m, estava bem na rede. Mas as donas da casa se mostravam focadas e vibravam demais a cada ponto, puxando a torcida junto. O bloqueio europeu começou a funcionar, entretanto e, dessa forma, elas viraram. O jogo era muito equilibrado, e as duplas brigavam ponto a ponto.

Duda chamou a atenção com um contra-ataque sensacional, igualando tudo em 16 a 16. Mais tarde, com bobeada de Heidrich na recepção de saque da jovem rival, o Brasil chegou ao ponto do set. A Suíça respirou dando troco com Heidrich no ataque. Duda, usando a fita e dando uma pancada, fechou em 21 a 19.

A Suíça abriu o segundo set com Heidrich, mas Ágatha deu o troco. Mais tarde, Duda deu uma bola espetacular, e o Brasil chegou a 3 a 2. A exemplo do primeiro set, o jogo era equilibrado. Novamente, a torcida embalava as brasileiras. Duda foi a responsável por abrir dois pontos: 12 a 10. Vergé-Dépre, no toquinho no fundo da quadra, aproximou as europeias.

Em seguida, a jovem do Brasil conseguiu um ace, e Ágatha, com bloqueio, abriu quatro de frente para as donas da casa: 18 a 14. Com a paranaense na rede, as brasileiras chegaram ao match point. Duda parou no bloqueio de Heidrich, que evitou o fim do jogo. Em seguida, elas confirmaram o triunfo e o título com parcial de 21 a 17 em 36 minutos de confronto.

O torneio

A etapa de Itapema, em Santa Catarina, é de nível quatro estrelas no Circuito Mundial de vôlei de praia e distribui uma premiação de 150 mil dólares aos atletas, com as duplas campeãs nos dois naipes recebendo 20 mil dólares e somando 800 pontos para o ranking, que define os campeões da temporada. As competições do tour são classificadas de uma a cinco com base nos pontos e na premiação que distribuem.

O Brasil recebeu em sua história 42 etapas no naipe masculino e 37 etapas no naipe feminino (a maioria realizadas simultaneamente) do Circuito Mundial de vôlei de praia. Esta é a primeira vez que uma cidade da região sul do país recebeu uma etapa do giro internacional.

https://sportv.globo.com

 
 
 
 

Princesa Meghan é divorciada, ativista e de origem negra


Atriz americana defende causas feministas. Há alguns anos, uniu-se à ONU em prol da igualdade de gênero e do empoderamento feminino. É, ainda, ativista de causas humanitárias

 

Meghan Markle tem ua história diferente das normalmente vistas na família real britânica (Foto: GettyImages). Atriz, americana, feminista, divorciada, afro-americana e noiva do príncipe Harry. Meghan Markle, de 36 anos, três anos mais velha que o futuro marido, nasceu em Los Angeles, da união de um diretor de iluminação branco com uma psicoterapeuta negra. Conhecida por defender suas raízes africanas, também é uma feminista ferrenha: há alguns anos, uniu-se à ONU em prol da igualdade de gênero e do empoderamento feminino. É, ainda, ativista de causas humanitárias.
Seus pais, Doria Ragland e Thomas Markle, se separaram quando ela tinha dois anos e se divorciaram cinco depois. A relação com a mãe, é afetiva e próxima.

 

O pai, mora no México e por problemas de saúde, não participará da cerimônia, como manda a tradição. Veio de Doria, segundo a própria Meghan, sua paixão pela filantropia. O casal já avisou que não quer presentes, mas sugere que os convidados façam donativos a instituições de caridade.

“Sempre me perguntam como mantenho um pé em dois mundos contrastantes — um na indústria do entretenimento, baseado na riqueza e na indulgência, e o outro no trabalho humanitário. Para mim, é menos uma questão de como você pode fazer isso e mais uma questão de como você não pode?”, escreveu Meghan, em 2014, num post em blog que mantinha na internet. “Foi o que cresci vendo, então é o que cresci sendo.”


Mas foi com o pai, que trabalhava como diretor de iluminação, que nasceu sua vocação profissional — desde pequena, frequentava com ele os sets de gravação. “Todos os dias depois da escola, por dez anos, eu estava no set de “Married… With Children”, que era um lugar divertido e perverso para uma pequena garota uniformizada de uma escola católica crescer”, contou, em entrevista à revista “Esquire”.


Em 2003, aos 21 anos, Meghan se formou na Universidade de Northwestern, em Illinois, com dupla especialização: teatro e estudos internacionais. Seu primeiro papel foi na série “General Hospital”, em novembro de 2002. Mas sua estreia para o grande público foi em “Suits” — Meghan participou desde o episódio piloto, em 2011. Ao anunciar o noivado, no ano passado, no entanto, a atriz confirmou que deixará a carreira para se unir a Harry nos compromissos oficiais.
Atuação feminista

Se do lado do pai, Meghan é descendente do rei Robert I da Escócia, que reinou entre 1306 e 1329, do lado da mãe, é descendente de escravos das plantações de algodão da Geórgia, no sul dos EUA. Quando o namoro foi anunciado, em 2016, chegou a sofrer ataques raciais nas redes sociais e da própria imprensa britânica. Em comunicado à época, a realeza condenou “o sexismo, o racismo e a difamação” de que ela foi vítima. Por isso, para a escritora Afua Hirsch, o noivado pode redefinir o que significa ser britânico:


— É um tabu gigantesco. O casamento trará uma realidade que o establishment britânico não tinha sequer imaginado: que um membro da família real pode não só amar e se casar com alguém cuja herança étnica é diferente da sua, mas com aquela que sempre foi vista como a mais diferente no país: negra e africana — afirmou ao “Guardian”. — Todo governo fez alguma tentativa, pelo menos retórica, de reconhecer e proteger a diversidade racial. A família real, no ápice de nossa sociedade, fazia tudo menos isso. O que fazia com que muitas pessoas acreditassem que ser verdadeiramente britânico e negro eram identidades incompatíveis.


A historiadora Kate Williams concorda:


— Numa corte e numa família que ainda são tão brancas quanto nos tempos da rainha Vitoria (1819-1901), talvez a mudança tenha começado pelo topo.


Com forte atuação feminista, Meghan conseguiu, aos 11 anos, fazer com que um fabricante de detergente mudasse um anúncio, depois de escrever para a então primeira-dama Hillary Clinton, reclamando que a propaganda insinuava que o lugar da mulher era na cozinha. Em um discurso na ONU em 2015 no Dia Internacional da Mulher, lançou: “As mulheres devem ter um lugar ao redor da mesa (…) E, em certos casos, se este lugar lhe é negado, precisam criar sua própria mesa”.


A união com Harry também será o segundo casamento de Meghan, outro tabu — ela já havia trocado alianças, em 2011, com o produtor Trevor Engelson, mas os dois se divorciaram em 2013. Mas, se no no passado, membros da realeza que se casassem com pessoas separadas deviam renunciar aos direitos à coroa, os tempos agora são outros.


— Mostrará que Harry é um homem profundamente moderno, à altura de seu tempo, e não uma criatura estranha vinda de outro planeta, como os membros da Casa Real às vezes são percebidos — explicou à AFP Penny Junor, biógrafa do príncipe.


Não por acaso, comparações com Diana são inevitáveis — as duas compartilham o glamour, a origem simples e o gosto por causas sociais. O que poucos sabem é que a atriz americana foi fascinada pela família real. Segundo amigos, Meghan chorou assistindo seu funeral na televisão, em 1997.


“Ela sempre foi fascinada pela família real, ela quer ser a princesa Diana 2.0”, contou a amiga de infância Ninaki Priddy no livro “Meghan: uma princesa de Hollywood”, recentemente publicada por Andrew Morton.
 

 
 
 

Mestre de cerimônia Crys Moura promoverá Oficina de Oratória

dias 02 e 03 de junho e 16 e 17 de junho

 

As inscrições estão abertas para a Oficina de Oratória, uma oportunidade destinada para aquelas pessoas que pretendem melhorar a sua postura, perder a timidez e aperfeiçoar a eficiência da comunicação em público. Acontecerá em junho com aulas, filmagem e certificação pelo Centro Universitário Uninter. Informações: 3211 4998/ 9 91114998.

A maioria dos eventos, independentemente do porte, possui alguém para comandar as ações e dar uma sequência lógica à participação dos presentes e às atrações, função comumente empregada aos mestres de cerimônia. Esses profissionais são conhecidos pela desenvoltura com o microfone nas mãos, bom humor e a habilidade de se comunicar, virtudes muitas vezes necessárias para conduzir eventos.


Exemplo disso é Crys Moura, mestre de cerimônia muito requisitada em Sergipe pelo seu estilo próprio. Nesse bate papo conheça um pouco sobre esse trabalho.

EXCLUSIVA - De onde veio a iniciativa de ter a sua profissão? Já havia vocação desde criança ou alguém te indicou esse ramo?

- Desde criança já dava sinais da minha paixão pela comunicação. Ouvia muito rádio e tentava imitar as locutoras que ouvia, achava tudo muito fascinante. Lembro também que improvisava uma canequinha plástica no cabo da vassoura para usar como microfone. Era sonho de criança... Que se tornou realidade quanto fiz 18 anos e passei num teste de rádio na Emissora Rio São Francisco, em Penedo/AL, cidade onde passei minha infância.

EXCLUSIVA - Como funciona a preparação de um mestre de cerimônias para cada evento? Você estuda cada público?

- Sim, cada evento é uma nova emoção e você tem que saber para qual público você irá falar, pois cada público tem uma linguagem própria. Procuro me preparar treinando o texto em voz alta, sempre imaginando já estar perante o público.

Exclusiva- Acontecem muitos imprevistos? Como lidar com essas situações?

- Sempre ocorrem as surpresas. Você prepara todo o script do evento e na hora H muda tudo. Já me acostumei a viver com essas situações. É preciso saber lidar com o improviso, o rádio nos ensina muito sobre isso.

EXCLUSIVA - Você acha que os mestres de cerimônia podem estar em qualquer evento ou existem nichos específicos?

- Todo evento precisa ter uma condução e o mestre de cerimônia é o profissional responsável por esse papel. Você pode ter uma estrutura fantástica, com excelente som, decoração, iluminação, mas, se o mestre de cerimônia não for um profissional competente pode comprometer todo o evento.

EXCLUSIVA - Como a equipe do evento e o próprio mestre de cerimônia podem agir para que ele seja atrativo e os convidados tenham a melhor experiência?

- Planejamento e organização, são essenciais para que o evento seja um sucesso. A equipe precisa estar em sintonia. O mestre de cerimônias precisa ter uma boa voz e principalmente uma comunicação que transmita alegria, espontaneidade e segurança. O rádio é um excelente aliado nesse processo, o mestre de cerimônias que trabalha em rádio desenvolve essa habilidade com muita facilidade.

EXCLUSIVA - Facilidade na fala é uma das qualidades obrigatórias de mestre de cerimônias, mas quais outras dicas você pode dar para quem quer seguir uma carreira nessa função?

- Para quem desejar seguir essa carreira, aconselho que procure um curso de rádio para conhecer técnicas de comunicação e sempre que tiver oportunidade treine a habilidade de falar em público, pois a prática fará com que cada vez mais você desempenhe melhor esse papel. Cursos de oratória também, são ótimas ferramentas de contribuição no aperfeiçoamento dessa performance.

EXCLUSIVA – Comente sobre o curso de Oratória que irá promover este mês?

- Nossa oficina de oratória é uma oportunidade para aquelas pessoas que pretendem melhorar a sua postura, perder a timidez e melhorar a eficiência da comunicação em público. Acontecerá em maio, com carga horária de 16 h. aulas, filmagem e certificação pelo Centro Universitário Uninter. Informações pelos fones: 3211 4998/ 9 91114998. Vagas limitadas.

BIOGRAFIA CRYS MOURA

Pernambucana, nascida em 08 de setembro de 1965, a radialista Maria de Lourdes Otaviano de Moura, conhecida por todos por Crys Moura (nome que ganhou quando assumiu seu primeiro trabalho como locutora apresentadora), desde criança, é apaixonada pelo rádio. Astuciosa, costumava imitar os locutores que ouvia e sonhava em um dia exercer a profissão de locutora, algo que muito lhe fascinava.

O sonho tornou-se realidade aos 18 anos, quando a Emissora Rio São Francisco, rádio pioneira do estado, em Penedo/AL., cidade onde viveu sua infância, abriu um concurso para locutora apresentadora e ela foi aprovada, passando a comandar o Programa A Dona da Noite, que ia ao ar, no horário das 22h, na programação diária da Emissora. A partir de então, certificou-se que essa era sua profissão. Trabalhou durante 5 anos na emissora e não parou mais. Foi convidada a trabalhar na FM Jornal de Propriá/SE, onde se firmou na profissão. Implantou duas rádios FM, na cidade de Penedo, logo depois vindo morar em Aracaju, onde trabalhou em grandes redes de Comunicação como Jornal, Liberdade e Cultura.

Em 2008, conheceu o Sistema Comércio, trabalhando como Mestre de Cerimônias, apresentando eventos corporativos e comandando o Programa Estação SESC.

Em 2016, foi convidada a ministrar oficinas de oratória na Faculdade Amadeus, encontrando, nessa função, a oportunidade de contribuir para que as pessoas dominem técnicas de oratória e possam desenvolver melhor a capacidade de comunicação em suas áreas de atuação.

Formada em Letras, Tecnóloga em Marketing, com MBA em Marketing Executivo, Crys Moura atualmente coordena as Câmaras Empresariais da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Sergipe – Fecomércio/SE.

 
 
 
 

Presidente do Democratas Mulher em Sergipe quer

mulheres atuantes na política


Partido terá candidatura feminina à Assembleia Legislativa

 

Por Cláudia Meireles

As mulheres têm ampliado sua participação na política, mas não têm alcançado o registro mínimo em cotas estabelecidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Diante disso, as mulheres que ocupam hoje cargos eletivos ou que fazem parte de partidos políticos estão empenhadas em mudar essa realidade.
Em Sergipe, a pedagogia formada pela Universidade Federal de Sergipe, Josilda Monteiro, natural de Itabaiana, presidente do Democratas Mulher em Sergipe ressalta a importância do partido e destaca que o diretório feminino composto por 11 mulheres de diversas áreas, pleiteia a busca pela igualdade dos direitos e as possibilidades em oportunizar a pessoas a desenvolver suas potencialidades, reconhecendo seus valores e a condição de auto-sustentação.

Josilda admite que o partido passou por um declínio, como qualquer outro, “pois sabemos que se tratava de um partido fortalecido e com uma dimensão considerada, entretanto, enfrenta as dificuldades vivenciadas por toda sociedade, mediante o contexto da estrutura socioeconômica que vivemos”, disse.


O DEM MULHER vem unindo forças conscientes em diversas comunidades, através de: palestras, oficinas, rodas de conversa entre outros. “No primeiro encontro levamos uma palestra ao local, nesse momento apresentamos o diretório e explicamos a nossa proposta, ao fim incentivamos a interação dos presentes na definição dos temas dos próximos encontros de acordo com as necessidades do local. Dessa forma as mulheres se sentem bem a vontade em compartilhar conosco suas dificuldades e anseios”, explica.


Josilda conta que uma integrante do diretório que irá se candidatar a deputada estadual. O partido já tem a programação para esse ano, com as metas, agenda de encontros nas comunidades e cidades do interior, organizada por mês de acordo com a disponibilidade dos lideres locais.


“Reconhecendo que o partido passou por um declínio, e atualmente é notório a necessidade de continuarmos obtendo ganhos em relação as filiações para criarmos forças e estruturação, em prol dos investimentos sociais e das ofertas de condições de sustentação às famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade social”, disse.


A presidente do Democratas Mulher salienta que o partido acredita na igualdade de gênero e defendemos a bandeira de que a mulher deve ocupar todos os espaços da sociedade, “sendo assim, estamos lutando pela conscientização de todos e por mais mulheres na política. Queremos que a mulher busque forças e jamais desista de lutar pelos seus sonhos e que não se abata pelos possíveis percalços.

DIRETÓRIO FEMININO DO DEM MULHER EM SERGIPE

Presidente – Josilda Monteiro – Pedagoga
Vice-presidente – Eloisa Chagas – Empresária
Vice-presidente – Simone Ribeiro – Pedagoga
Tesoureira – Rivanilde Santos – Administradora
Secretaria Executiva – Ledna Torres – Psicóloga
Membros Titulares:
Jaqueline Torres – Conselheira Tutelar
Jussimara Nunes - Advogada
Carla Bamberg – Nutricionista e Coordenadora na FASE
Sônia Oliveira – Professora
Maria José Carvalho – Conselheira Social
Sheila Ramos – Empresária

QUEM É JOSILDA MONTEIRO?


Formada em Pedagogia pela Universidade Federal de Sergipe, nascida em Itabaiana, mudou-se para Aracaju em 1985. Desde então trabalhou em diversas instituições. Foi assessora da Diretoria Geral de Educação do Estado e vice diretora em um Colégio do Conjunto Bugio. A partir daí passou a desenvolver sua carreira profissional na área social, chefiando um dos setores da FUNDESE, depois passou a dirigir a Casa Irmão Sol, fundada pela então primeira dama Maria do Carmo Alves. Foi presidente da Fundação Renascer. Em seguida, passou a trabalhar como assessora na Secretaria Municipal da Família e Assistência Social, onde participou de diversos conselhos, a nível municipal e estadual. Hoje em dia preside o Democratas Mulher Estadual e faz parte de grupos filantrópicos.

 
 
 

Oficina Dicas de Confeitaria: uma doce aliada para a vida profissional


Evento acontecerá dia 21 de maio em Aracaju para iniciantes e profissionais com inscrições gratuitas

 

POR CLÁUDIA MEIRELES

 

Seja em qualquer área, “as mulheres não devem se contentar em seguir o progresso geral da humanidade, mas em seguir seu próprio desenvolvimento”, conforme escreveu a escritora sueca Ellen Key.


Conhecimento nunca é demais, portanto será realizada em Aracaju, no dia 21 de maio, às 15h, no bairro Santos Dumont, a primeira turma da Oficina Dicas de Confeitaria, com inscrições gratuitas, idealizada pelas confeiteiras Drica e Vivian.


O objetivo da oficina é sanar dúvidas das iniciantes no mundo da confeitaria, conhecendo suas dificuldades e incentivando seus talentos.

Já para a segunda turma, as organizadoras já estão anotando os nomes dos interessados, com data a ser confirmada.


A Oficina Dicas de Confeitaria será teórica com interação entre todos os envolvidos e trocando experiências. Podem participar pessoas iniciantes com dificuldades em arcar com os custos de cursos na área, bem como profissionais que tenham interesse em ajudar como instrutores dessas oficinas.


As meninas fizeram parte da organização do II Encontro de Confeitaria de Sergipe. Elas contam que a ideia desse doce encontro aconteceu visando tirar dúvidas básicas e recorrentes de confeiteiras e confeiteiros, bem como reduzir minimizar as dificuldades dessas pessoas em ter acesso a cursos na área de confeitaria, portanto, decidiram montar a Oficina de Dicas de Confeitaria, que ensinará dicas de pasta americana, chantilly, doces, salgados, etc.


Na opinião de Drica o mercado da confeitaria está expandindo bastante nos últimos tempos, já existem inúmeras pessoas em Sergipe que estão aprendendo a amar a área maravilha do açúcar.


“Quando fazemos algo que gostamos é maravilhoso, cada encomenda pronta nos enche de orgulho e faz com que tenhamos vontade de aprender mais e mais. Se você ama a confeitaria, se capacite, insista e siga seu coração, pois com responsabilidade e compromisso, o sucesso é só uma questão de tempo. Sejam humildes com seus parceiros da mesma área, o mundo é para todos e tem clientes para todos. Vamos espalhar açúcar”, admite Drica. Mais informações com Drica: 99988-1654

Vivian Silva Rocha ( @nina_cup_cake) apaixonada pela confeitaria, trabalha especificamente com bolos em pasta


Adriana Tavares Passos (@_adrianafestas) faz bolos com chantilly.
Ambas ADM no insta -_dicasdeconfeitariasergipe

 
 
 
 

Exclusivo: Eliane diz que é preciso muita conversa para

aceitar ser vice de Belivaldo

 

A vice-prefeita Eliane Aquino (PT), que teve seu nome sugerido pelos aliados do governador Belivaldo Chagas (PSD) para ser sua vice nas eleições deste ano, durante reunião ocorrida ontem à noite, 14, agradece pela lembrança do seu nome e reconhecimento à sua pessoa.

Todavia, declara Eliane, é preciso muita conversa para que venha a ser pré-candidata a vice-governadora. “Não é só assim, além de ser vice tem todo um projeto. Vamos conversar. Até hoje nunca tive uma conversa formal sobre ser vice. Todas as conversas com Belivaldo são amistosas”, afirma.


De acordo com ela, a sua decisão de votar em Belivaldo para governador já foi tomada lá atrás, mas sobre a questão de ser vice é preciso conversar muito. “Quero saber qual o projeto para o Estado, qual a proposta além de arrumar a casa. É a minha vida. O ideal era conversar antes comigo. É preciso calma. Não é uma brincadeira com a minha vida, com o meu estado”, frisou.

Enfatiza que vai aguardar a conversa com Belivaldo e o seu partido. “O momento é de pensar muito. Depois só acertar os ponteiros, pois não é um tiro no escuro, não é uma queda sem paraquedas”, finaliza Eliane.
Fonte: http://politicaemfoco.net.br/
 
 
 
 

 

Terapeuta floral Margarida Machado ministra palestra em homenagem às mães na ASPENE-SE

 

 

Visando homenagear as mães aspeneanas, a Diretoria de Relações Sociais promoveu dia 11 de maio, às 15h, no auditório da associação, um evento com aspeneanas e familiares, com palestra da terapeuta floral e assistente social, Dra. Margarida Machado.

O evento contou com apoio da esposa do diretor, Anaide Dias, colaboradora ativa dos trabalhos. Houve ainda sorteios e entregas de brindes, apresentação de grupo de Zumba e alunas da professora Deise do CEPE e coffee break.

Ações como essas são importantes e marcantes. O evento foi uma singela forma de lembrar a importância da figura da mãe”, explicou o diretor José Dias.

 
 
 
 
 

Há três meses morria Asma Jahangir, ativista pelos

direitos humanos

 


Advogada chegou a presenciar em seu escritório mãe matando filha por divorciar-se do marido; assassinatos por "honra" são comuns no Paquistão

Há exatamente três meses morreu Asma Jahangir, uma das principais ativistas dos direitos humanos do mundo, crítica destemida da interferência militar na política e defensora ferrenha do Estado de direito no Paquistão.

Asma sofreu um ataque cardíaco e foi levada às pressas a um hospital em Lahore, onde morava. Ela não resistiu e faleceu no dia 11 de fevereiro, aos 66 anos.

Advogada de direitos humanos, a paquistanesa construiu sua reputação desafiando o governo e defendendo minorias marginalizadas e mulheres. Ganhou reconhecimento internacional por suas denúncias em um país onde vozes liberais e seculares são ameaçadas.

Autoridades e grandes ativistas de todo o mundo lamentaram a morte de Asma na época. O primeiro-ministro do Paquistão, Shahid Khaqan Abbasi, elogiou suas “imensas contribuições para a manutenção do Estado de direito e da democracia e a salvaguarda dos direitos humanos”.

A ganhadora do Nobel da Paz Malala Yousafzai, também paquistanesa, afirmou que a ativista foi uma “salvadora da democracia e dos direitos humanos”. Já o diretor para o sul da Ásia da Anistia Internacional , Omar Waraith, afirmou que ela “nunca vacilou”.
Vida de ativismo

Jahangir nunca teve medo de expressar sua opinião sobre os ataques sofridos por minorias religiosas e mulheres no Paquistão. Lutou arduamente contra as chamadas Leis de Hudood, adotadas em 1977, segundo as quais vítimas de estupro deveriam provar sua inocência ou enfrentavam punições por adultério ou fornicação.

A legislação, que foi revogada em 2006, também instituiu novos tipo de punição, como a amputação, o chicoteamento e o apedrejamento até a morte. As leis haviam sido implantadas durante a ditadura militar do general Zia ul-Haq, em substituição ao Código Pena,l usado pelo mandato britânico antes da independência paquistanesa.

Em 1980, Jahangir fundou com sua irmã, Hina Jilani, o Women’s Action Forum (WAF), que atuou na defesa de Safia Bibi, uma adolescente cega de 13 anos que foi estuprada por funcionários de sua casa e acabou grávida, mas foi condenada à prisão e açoitamento por atos de fornicação. Jahangir defendeu Safia nos tribunais e com muita pressão popular conseguiu convencer os juízes a anularem a condenação.

 
 
 
 

ASPENE-SE realiza hoje, dia 11, homenagem às mães

 

 
 
 
 

Oficina de introdução ao bordado livre com ateliê

 TATO em Aracaju

 

Em maio, TATO, ateliê de ilustração, estamparia e bordado, inicia sua programação de cursos com duas turmas de bordado livre. As oficinas acontecem em Aracaju, cada uma com carga horária de quatro horas, nas quais o aluno aprende a técnica, incluindo teoria e prática. A atividade é indicada para estudantes e profissionais de moda, design, e artes, artesãs (ãos), costureiras(os) e público em geral. As inscrições podem ser feitas na loja online(www.atelietato.com.br).

As oficinas são ministradas pela ilustradora e designer Daniella Etinger, idealizadora da TATO. O ateliê sergipano foi lançado em 2016 e tem como premissa o trabalho manual. Nele são desenvolvidos projetos autorais e personalizados de bordado, ilustração e estamparia, utilizados em moda e artesanato.

 

LIVRE, LEVE E SOLTO

O bordado livre é uma modalidade que dispensa as regras tradicionais da técnica. A principal diferença está na construção do desenho sem a contagem dos fios. A temática também distingue o estilo, em oposição ao motivo mais convencional. Se antes os desenhos florais serviam apenas para fins decorativos, agora costumam retratar o cotidiano e valores pessoais.


Também conhecido como bordado contemporâneo, a técnica se popularizou entre gerações mais novas há pouco mais de três anos. Hoje, essa comunidade tem uma faixa etária elástica, composta por mulheres, ainda a maioria, e também homens.

O resgate não é só da técnica, mas também do trabalho artesanal. O feito à mão, outra tendência em voga, permite às novas bordadeiras desacelerar e valorizar imperfeições, enquanto o bordado livre vem sendo utilizado como ferramenta de representação social e artística. É ainda um recurso ocupacional e de socialização, sendo instrumento contra o estresse, a depressão e a ansiedade.
 

 
 
 
 

Prorrogadas até 14 de maio inscrições para curso de cinema

para mulheres no Santa Maria

 

O CRAS do bairro Santa Maria abre inscrições para oficina gratuita, cujo objetivo é a produção de filmes – carta aberta às mulheres do Santa Maria. O curso teve suas inscrições prorrogadas até o dia 14 de maio, com 25 vagas, conforme informa a coordenadora, Cláudia Pereira.
O Curso de Cinema é feito para quem adora cinema e quer colocar a mão na massa. O aluno produz um curta-metragem em grupos de quatro a seis alunos onde assumem as principais funções em uma equipe de cinema: direção, fotografia, produção, direção de arte, edição etc, e tem todo o processo acompanhado de perto por professores especializados e atuantes no mercado. Ou seja, aprende os aspectos teóricos, técnicos, conceituais e os aplica na prática. Os interessados devem apresentar documentos pessoas de identidade, CPF e ter um aparelho de celular com câmera. Informações no CRAS do Santa Maria pelo telefone 3179-3069.

 
 
 
 

Desfile de modas com coffe break marca homenagem

 às mães na Barroso Modas

 

 

Desfile de moda com a participação das mães foi o ponto alto da homenagem que a Barroso Modas preparou para homenagear o Dia das Mães. O desfile aconteceu em frente à loja, na Avenida Antônio Fagundes de Santana, 400, loja 14, no bairro 13 de Julho, em Aracaju.

O desfile que iniciou por volta das às17h, se tornou uma festa com as mamães desfilando na passarela. Um coffe break foi servido, em seguida ao desfile de modas, cujas modelos foram clientes e convidadas, ao som eletrônico ambiente animado.

A proprietária da loja, Laodicea Barroso disse que estava muito satisfeita com o resultado do desfile, que reuniu sua clientela. “Este foi o segundo desfile promovido pela loja este ano”, explicou.

De acordo com uma das organizadoras, Josilda Monteiro, o evento dedicado às mães tem por objetivo o congraçamento. A cliente e elegante, Noélia Caldas disse que o desfile marca as tendências da estação outono-inverno, como modelos de bom gosto para as mamães.


A loja Barroso Modas criou um clima agradável para receber a clientela que desfrutou de um ambiente com todo o conforto que só a loja proporciona há muitas décadas em Aracaju. Foi ainda um momento de aconchego e carinho preparado para homenagear o mês dedicado às mães.

 
 

 
 
 
 

Renomada cake design Samira Nunes ministra cursos em

Aracaju, com turma extra dias 09 e 10 de maio

 

 

A cake design, gastrônoma e especialista em confeitaria, Samira Nunes ministra cursos em Aracaju, ensinando técnicas para profissionais da área. Ela é conhecida nacionalmente pelos seus métodos inovadores e criatividade com que desenvolve a arte de confeitar.


O site www.exclusivamulher.com conversou com Samira Nunes e seu esposo e empresário, Leandro Nunes. O casal está otimista com a agenda de cursos lotada no Brasil e no exterior. Em Aracaju estão sendo realizados três cursos de formação cake design, com uma turma extra que acontecerá dias 09 e 10 de maio de 2018.

Os cursos são direcionados para quem está começando a arte de confeitaria e tem interesse em investir na carreira, bem como quem já trabalha na área e precisa aprimorar e conhecer novos técnicas. A área de confeitaria é que mais cresce no mercado e tem exigido profissionais que estão inseridos nela.

Samira Nunes é graduada em Gastronomia pela Faculdade Maurício de Nassau, confeiteira profissional pelo SENAC, já conquistou o 1º Lugar na Categoria Bolo de Casamento no Congresso Internacional Brasil Cake Show 2017 realizado em Salvador, na Bahia e 1º Lugar na Categoria Bolo de Casamento na Expor Cake 2017, realizado em São Paulo.


A história de vida de Samira é uma inspiração para outras profissionais da confeitaria. Ela conta que durante os cursos, além de ensinar técnicas para as alunas, mostra seu exemplo de uma fé atuante em Deus para lutar e vencer os obstáculos.

Esse ano, Samira Nunes estará participando da Expo Cake Brasil 2018, que acontecerá de 18 a 21 de outubro, no Centro de Convenções Sul América, no Rio de Janeiro, uma exposição de bolos artísticos onde os profissionais da área podem mostrar seus trabalhos, proporcionando oportunidades de negócios.
A organizadora dos eventos e cursos para Samira Nunes em Aracaju, Karla Aragão está preparado uma caravana para a Expo Cake Brasil 2018. Os interessados devem obter informações pelo telefone (79) 98877 7292.

Massa de bolo de Samira Nunes


As confeiteiras sergipanas aprovam e aprendem novas técnicas nos cursos da cake design, Samira Nunes. Confira a receita da cake famosa que faz muito sucesso. Ela começou o negócio vendendo bolos de pote, Empreendeu testes e criou sua massa para bolos que você pode rechear com sabores e recheios diversos. Anote aí!


Por Cláudia Meireles/www.exclusivamulher.com

 
 
 
 

Simone Almeida: bióloga e ativista dos direitos dos animais promoverá Mutirão de Castração em Estância
 

A fundadora da ONG Animais Amigos, Simone Almeida é bióloga e mestre em saúde pública, tem 51 anos, natural do Rio de Janeiro, mas reside na cidade de Estância há 28 anos. É amante da causa animal e por isso promoverá amanhã, dia 05 de maio, o quinto mutirão de castração, na Av. Jornalista Augusto Gomes, 1264, no bairro Cidade Nova.

 

Conforme explica Simone o objetivo da ação é a redução do contingente de animais abandonados e cadelas no cio.

 

As vagas são limitas a 20 castrações e haverá consultas veterinárias pelo valor de R$ 10,00.

 

A ONG Animais Amigos, através de Simone, resgata, cuida, castra e encaminha animais para famílias através de adoção responsável, visando adotá-los.  Informações pelo whatsapp  (79) 99959-1348.

 
 
 
 

Abertas inscrições para curso de cinema para

mulheres no Santa Maria

 

O CRAS do bairro Santa Maria abre inscrições para oficina gratuita, cujo objetivo é a produção de filmes – carta aberta às mulheres do Santa Maria. O curso começará dia 11 de maio com 25 vagas, conforme informa a coordenadora, Cláudia Pereira.
O Curso de Cinema é feito para quem adora cinema e quer colocar a mão na massa. O aluno produz um curta-metragem em grupos de quatro a seis alunos onde assumem as principais funções em uma equipe de cinema: direção, fotografia, produção, direção de arte, edição etc, e tem todo o processo acompanhado de perto por professores especializados e atuantes no mercado. Ou seja, aprende os aspectos teóricos, técnicos, conceituais e os aplica na prática.
 

 
 
 

Simpósio e seminário de 08 a 10 de maio discutem

produção e consumo de alimentos

 

O evento "IV Seminário sobre alimentos e manifestações culturais e III Simpósio Alimentação e Cultura: produção e consumo na perspectiva da soberania e segurança alimentar nutricional" tem por finalidade refletir sobre os desafios que estão sendo vivenciados para a manutenção da produção, do consumo, da soberania e da segurança alimentar nutricional além de outras manifestações culturais na contemporaneidade.


Nessa direção, será discutido o papel da pesquisa e do ensino a partir de novas metodologias e da valorização dessa temática como objeto de estudo, compreendido como essencial nas últimas décadas a partir da discussão entre pesquisadores e agricultores/representantes das comunidades produtoras de alimentos e da sociedade civil nas diferentes escalas geográficas do global ao local.


A valorização de temáticas que envolvem a produção e o consumo de alimentos e manifestações tradicionais se refere também à valorização de personagens vivos, atuantes, o que exige nova postura do professor-pesquisador e dos representantes das comunidades responsáveis pela produção, comercialização e abastecimento de alimentos.
 

O encontro constitui-se, portanto, em espaços de discussão sobre novo olhar acerca da produção e do consumo de alimentos, das diferentes formas de saber fazer, modos de vida e de apropriação do espaço.


Programação


8 de maio (terça-feira)


19h - Conferência de abertura: “Valorização e manutenção da produção de alimentos tradicionais: produção e consumo na perspectiva da soberania e segurança alimentar nutricional” (professora Noemi Porro/UFPA).


Lançamento de livros / Apresentação cultural  /  Mesa regional com iguarias sergipanas


9 de maio (quarta-feira)


8h: Apresentação de trabalhos -GTs


10h: Mesa Redonda: Segurança Alimentar e Nutricional pelas perspectivas da Comunidade CPLP e UNASUL (coordenação: Jaqueline Sgarbi Santos, professora da Unilab; Francisco Bendrau Sarmento, diretor da FAO Portugal e CPLP; Pedro Fernando Chumela Chume, professor da Universidade Zambeze- Moçambique; e Maria Rita Marques Oliveira, professora da Unesp – Botucatu)


12h: Almoço


14h: Apresentação de trabalhos - GTs


16h: Mesa redonda: As feiras e outras formas alternativas de comercialização dos alimentos (coordenação: Geisa Flores Mendes, professora da Uesb; Maria Catarina Zanini, professora da Universidade de Santa Maria (UFSM); Aroldo José da Silva, representante do MPA Sergipe; e Patrícia Santos, representante do Movimento das Catadoras de Mangaba


10 de maio (quinta-feira)


8h: Documentários sobre alimentação e cultura


coordenação: Rita Simone B. Liberato


10h: Mesa redonda: Alimentos artesanais como cultura, alternativa de renda e acesso a mercados
coordenação: Fabiana Thomé da Cruz (PGDR/UFRGS); Vladmir Silves Ferreira (Universidade de Cabo Verde/Escola de Ciências Agrárias e Ambientais - Cabo Verde); Sônia Azevedo Nunes (Ministério da Agricultura); Claire Cerdan (Cirad/França); e Vicente P. Marques (Secretaria de Estado de Agricultura/RS)


12h: Almoço


14h: Apresentação de trabalhos - GTs


16h: Palestra de encerramento: Políticas e instrumentos de valorização dos alimentos tradicionais na perspectiva da soberania e segurança alimentar nutricional


Coordenação: Silvia Maria Voci (PPGNUT/ UFS)
Palestrante: Patrícia Goulart Bustamante (Embrapa/Brasília)

 
 
 
 

Encontro de Confeitaria de Sergipe contou com nomes

consagrados mundialmente: Iara Siriguela e Samira Nunes

 

Duas renomadas confeiteiras marcaram presenças na segunda edição do Encontro de Confeitaria de Sergipe, que aconteceu dia 30 de abril, em Aracaju. As cakes designers Samira Nunes e Iara Siriguela, que hoje participa da Batalha de Confeiteiros da Rede Record demonstraram suas técnicas em uma ‘batalha’ no evento.

O encontro contou com cerca de 165 participantes, superando a expectativa dos organizadores, conforme explica Karla Aragão. As palestras aconteceram das 14h às 18h, em um galpão localizado na avenida Euclides Figueiredo, nº1271, bairro Santos Dumont, próximo ao Sesi.

O investimento de R$30, com direito a coffee break, brindes, sorteios e uma aula show.


DOCE EVENTO


Mesmo em meio à crise no Brasil a confeitaria teve um crescimento acelerado. Como principal atividade ou para geração de uma renda extra, o número de confeiteiros vem crescido a cada dia no país. Micro e pequenos empreendedores estão investindo no segmento, e em muitos casos transformando o dom e o prazer de cozinhar em negócio.


Mas não basta saber produzir, é necessário entender um pouco de cada área para a criação de um negócio autossustentável. Foi pensando neste mercado que o evento foi realizado, explica Karla.
Ela acredita que a partir do segundo encontro, as confeiteiras sergipanas saíram fortalecidas para o terceiro encontro em 2019, onde os temas serão ampliados e haverá orientações acerca de novos conhecimentos e histórias inspiradoras.


Samira Nunes foi uma atração com sua história inédita de vida. Ela contou ao portal www.exclusivamMulher.com, que começou suas vendas em Maceió, cidade natal, comercializando bolos de potes na faculdade, depois dentro dos ônibus e o negócio se expandiu até os dias hoje, onde ministra cursos no Brasil e em países como Argentina, Portugal, Inglaterra, dentre outros. Samira deu aula show e falou um pouco sobre sua experiência e técnicas.
Ao final do evento, houve sorteios de brindes e um delicioso coffee break com receitas produzidas pelas confeiteiras, numa troca de experiência e conhecimentos entre elas.
Informações com Karla Aragão - (79) 98877-7292.

 

 
 
 

O II Encontro de Confeitaria de Sergipe acontece hoje, 30 de

abril, com participação de renomadas confeiteiras
 

As renomadas confeiteiras, Samira Nunes e Iara Siriguela marcarão presenças logo mais, às 14h, no II Encontro de Confeitaria de Sergipe, um evento que reunirá confeiteiras profissionais e principiantes, cujo objetivo é buscar novos conhecimentos. As vagas são limitadas, mas devido o sucesso, as inscrições já estão esgotadas.  O doce encontro promete reunir muitos talentos.
 

Samira Nunes, vencedoras de prêmios nacionais e internacionais e Iara Siriguela, participante do Batalha dos Confeiteiros 2, da Rede Record, com Buddy Valastro.
 

O II Encontro de Confeitaria de Sergipe será realizado na avenida Euclides Figueiredo, 1271, no bairro Santos Dumont, próximo ao SESI, em Aracaju. Conforme explica a organizadora do evento, Karla Aragão a ideia do encontro em Sergipe partiu de um grupo de confeiteiras chamado "Dicas de Confeitaria".

 

“Nosso primeiro encontro foi em 2017 com um grupo pequeno de 40 confeiteiras. Aí veio a ideia do segundo encontro. A princípio seria um pequeno encontro como o da primeira edição, mas quando divulgamos, logo a procura foi muito grande, as parcerias foram surgindo e como eu sou bem desenrolada, resolvi convidar duas confeiteiras famosas e com bastante experiências que poderiam vir somar em nosso encontro”, conta Karla.
 

Segundo Karla, o objetivo do encontro é promover um bate papo, troca de experiências, esclarecimentos de dúvidas com precificação. “Mas sem dúvida, o nosso maior objetivo será unir forças para criarmos um sindicato e associação, pois essa área está crescendo muito e nós estamos nos sentindo pouco reconhecidas, até mesmo porque não existe uma formação para ser confeiteira (a não ser quando você tem formação acadêmica de gastronomia”, relata.
 

Karla Aragao trabalhou como técnica de enfermagem e administradora das lojas da família, mas nunca se sentia completa, até descobrir os encantos da confeitaria. “Estou na confeitaria há 2 anos e nada me faz mais feliz e realizada”, confessa.
 

Segundo a organizadora do evento, os principais assuntos abordados no encontro serão: como calcular custos (estou cobrando certo do meu cliente) Incentivo ( confeiteiras desestimuladas).Troca de receitas Troca de experiências, parcerias com confeiteiras de bairros e muitos outros assuntos relacionados à confeitaria.
 

Mais informações com Karka Aragão - (79) 98877-7292 ou Adriana Tavares 99988- 1654.

 
 

 

 
 
 

Ativista animal Nazaré Moraes promoverá hoje, 146ª

Campanha de Adoção de Cães e Gatos

 

Sob a organização da ativista animal, Nazaré Moraes, os voluntários da Elan- Educação e Legislação Animal farão amanhã mais uma Campanha de adoção de Animais ( cães e gatos), no estacionamento coberto do Hiper Bom Preço (Av. Gonçalo Prado Rolemberg, 1540 - Bairro São José, em Aracaju.

 

Para adotar basta levar documentos pessoais, como carteira de identidade e assinar o termo de compromisso que se responsabilizará pela adoção. “Todos que desejarem adotar um animalzinho de estimação, deverão ser maiores de 18 anos e comparecer munidos de RG, CPF, comprovante de residência. Adote um animal e faça o bem a todos: ao animal, dando-lhe abrigo cuidados e amor; a você, tendo um companheiro amoroso”, explica Nazaré.
EXERÇA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE!
SEJA UM COLABORADOR PARA MANUTENÇÃO DO NOSSO TRABALHO!
ELAN - EDUCAÇÃO E LEGISLAÇÃO ANIMAL
BANESE
Conta/Poupança nº 03/129.603-1
Agência nº 014
CAIXA Conta/Poupança nº 00080014-0
Agencia nº 0059
Op 013

 
 
 
 

II Encontro de Confeitaria de Sergipe acontecerá na

segunda-feira, dia 30


Renomadas confeiteiras como Samira Nunes e Iara Siriguela marcarão presenças

 

 
 
 
 
 

Samira Nunes, vencedoras de prêmios nacionais e internacionais e Iara Siriguela, participante do Batalha dos Confeiteiros 2, da Rede Record, com Buddy Valastro.

Será na segunda-feira, dia 30 de abril, o II Encontro de Confeitaria de Sergipe, que será realizado das 14h às 18h, na avenida Euclides Figueiredo, 1271, no bairro Santos Dumont, próximo ao SESI, em Aracaju. Conforme explica a organizadora do evento, Karla Aragão a ideia do encontro em Sergipe partiu de um grupo de confeiteiras chamado "Dicas de Confeitaria".

“Nosso primeiro encontro foi em 2017 com um grupo pequeno de 40 confeiteiras. Aí veio a ideia do segundo encontro. A princípio seria um pequeno encontro como o da primeira edição, mas quando divulgamos, logo a procura foi muito grande, as parcerias foram surgindo e como eu sou bem desenrolada, resolvi convidar duas confeiteiras famosas e com bastante experiências que poderiam vir somar em nosso encontro”, conta Karla.

“Fiz o convite a Samira Nunes que topou na hora sem cobrar nada por isso. Em seguida mandei uma mensagem no direct de Iara Siriguela fazendo o convite ( essa eu tinha certeza que nem iria visualizar minhas mensagens) e para minha surpresa, ela disse sim”,salienta.
Do sonho à realidade, o pequeno encontro estava se tornando um mega evento, mas Kara admite que muitas pessoas ainda desacreditavam da ideia, força e garra de 7 mulheres ou melhor 7 confeiteiras.

Segundo ela, o objetivo do encontro é promover um bate papo, troca de experiências, esclarecimentos de dúvidas com precificação. “Mas sem dúvida, o nosso maior objetivo será unir forças para criarmos um sindicato e associação, pois essa área está crescendo muito e nós estamos nos sentindo pouco reconhecidas, até mesmo porque não existe uma formação para ser confeiteira (a não ser quando você tem formação acadêmica de gastronomia”, relata.

A inscrição custa R$ 30,00 e os cursos terão início às 14h, com encerramento às 18h. com direito a coffee break, brindes, sorteios e uma aula show.

Karla explicou que o local de realização do encontro foi cedido por uma das organizadoras, devido a falta de recursos para alugar um auditório ou espaço.

QUEM É KARLA ARAGÃO?

Karla Aragao trabalhou como técnica de enfermagem e administradora das lojas da família, mas nunca se sentia completa, até descobrir os encantos da confeitaria. “Estou na confeitaria há 2 anos e nada me faz mais feliz e realizada”, confessa.

Segundo a organizadora do evento, os principais assuntos abordados no encontro serão: como calcular custos (estou cobrando certo do meu cliente) Incentivo ( confeiteiras desestimuladas).Troca de receitas Troca de experiências, parcerias com confeiteiras de bairros e muitos outros assuntos relacionados à confeitaria.

Quem são Samira Nunes e Iara Siriguela?

Um pouco da história das convidadas: a sergipana, Iara Siriguela é participante do Batalha dos Confeiteiros 2, sócia da confeitaria Siriguela, é formada em design gráfico, especialista em bolos com efeito flor de açúcar, modelagens e bolo de casamento.

Mais informações com Karka Aragão - (79) 98877-7292 ou Adriana Tavares 99988- 1654.

 
 
 

A ONG Bem Querer promove hoje palestras sobre empoderamento

e violência contra à mulher

 

Autoconfiança e direito das mulheres serão temas de debate com especialistas

 

A ONG Bem Querer Mulher, Anne Wiliams, Dra Alessandra Nuzzo & Luciana Panteleiciuc promovem hoje, 26 de abril, um bate papo sobre temas como empoderamento e violência contra a mulher para convidadas seletas seguido de um jantar saudável, que estará disponível para as convidadas após o talk.

O bate-papo será realizado pela Dra. Alessandra Nuzzo, advogada especialista em direito da família, que falará sobre os direitos da mulher, violência doméstica e empoderamento feminino ao lado de Luciana Panteleiciuc, coach de mulheres, que falará sobre autoconfiança feminina. A Ong Bem Querer Mulher apresentará seu projeto junto a sua apoiadora Anne Williams.

Bem Querer Mulher é o movimento pela Não Violência à Mulher, sem fins de lucro, criado em 2004 com o apoio da ONU Mulheres, do Grupo Full Jazz de Comunicação, das mídias nacionais e do meio artístico, com os seguintes objetivos:

1. Ser um canal de adesão de pessoas e empresas à causa;
2. Conscientizar a população sobre as diferentes formas de violência contra a mulher e ampliar o conhecimento sobre a Lei Maria da Penha;
3. Arrecadar recursos para viabilizar o atendimento das Agentes Bem Querer Mulher, lideranças capacitadas para oferecer todo o apoio às mulheres vítimas em seus bairros, ajudando a acompanhar e a solucionar casos.

 

Todo dinheiro arrecadado é destinado para cumprimento de metas claras definidas para os próximos 2 anos: capacitação presencial de 600 novas agentes Bem Querer Mulher, implantação de 6 novas Casas Bem Querer Mulher , desenvolvimento do curso de Capacitação Agente Bem Querer Mulher no formato EAD, lançamento da segunda geração do Aplicativo Bem Querer Mulher e fortalecimento das parcerias atuais e conquista de novas.

 

O encontro promete também presentear as convidadas com mimos especiais além de fotos da fotografa que as convidadas receberão de recordação deste momento especial também.


Grão Fino
https://www.sougraofino.com.br/menu
Facebook: /sougraofino
Instagram: @graofino
Rua Pedroso Alvarenga, 672- Itaim

Luciana Panteleiciuc
Facebook: /Coachdemulher
Instagram: @coachdemulher
Youtube: Lupantv
Acesse mais- Bem Querer Mulher
http://www.bemquerermulher.org.br

Mulheres foram às ruas de Estância protestar contra violência

 

Por Cláudia Meireles


A violência é uma realidade cruel que assola as mulheres no mundo todo. Em Sergipe, os números são preocupantes, por isso centenas de mulheres foram às ruas ontem, dia 24 de abril na sede, visando chamar a atenção das autoridades e da sociedade para a grave problemática.


Foram centenas de mulheres de variados segmentos em protesto contra a constante violência à mulher, na “Caminhada Mulheres pela Vida”. A organizadora do evento e presidenta do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher no município, Karina Liberal informou que os casos na cidade tem crescido.


Carregando faixas e cartazes contra a violência, as participantes do ato público chamaram a atenção principalmente das mulheres, para o fato de que elas não devem aceitar o problema, que precisa ser denunciado, além disso, precisam buscar informações sobre os serviços a que podem recorrer quando sofrerem agressões.


Karina ressalta que membros de sindicatos, grupos religiosos, políticos, entre outros têm trabalhado juntos para que outros eventos possam ocorrer. A advogada, Valdirene Martins, da Comissão de Direitos das Mulheres na OAB-SE, esteve presente ao ato, representando a instituição.
“Precisamos de mais espaços, ações e movimentos com a finalidade de falar em nome da não violência, seja ela de qualquer tipo, principalmente a de gênero. Recentemente, a população de Estância sofreu com a morte de Leda Passos Santos, que morreu de forma bastante violenta pelas mãos de alguém que só deviam ter lhe dado carinho e parceria.


PROTESTO PELA MORTE DE LEDA


“Ela morreu como muitas outras mulheres que são vítimas de seus parceiros imbuídos de um sentimento de pertencimento que não deveriam ter”. Segundo Karina, Leda, na verdade, foi o terceiro caso na cidade em menos de seis meses.


Karina ressalta que membros de sindicatos, grupos religiosos, políticos, entre outros têm trabalhado juntos para que outros eventos possam ocorrer após a caminhada dessa semana. “Precisamos de mais espaços, ações e movimentos com a finalidade de falar em nome da não violência, seja ela de qualquer tipo, principalmente a de gênero. Se una a essa luta, em Estância, o dia 24 de abril, a partir das 16h é momento de união, protesto e despedida”, conclama.

 

 
 
 

Mulheres em Estância farão hoje caminhada contra

violência doméstica

 

Por Cláudia Meireles

Mulheres de variados segmentos da sociedade irão hoje, dia 24 de abril, às ruas de Estância, em protesto contra a constante violência à mulher, na “Caminhada Mulheres pela Vida”, com saída às 16h em direção aos bairros da cidade. A informação é da presidenta do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher no município e organizadora do evento, Karina Liberal.

Carregando faixas e cartazes contra a violência, as participantes do ato público vão procurar chamar a atenção da comunidade, principalmente as mulheres, para o fato de que elas não devem aceitar o problema, que precisa ser denunciado, além disso, precisam buscar informações sobre os serviços a que podem recorrer quando sofrerem agressões.

CAMINHADA MULHERES PELA VIDA

Conforme explica Karina, recentemente, a população de Estância sofreu com a morte de Leda Passos Santos, que morreu de forma bastante violenta pelas mãos de alguém que só deviam ter lhe dado carinho e parceria.


 “Ela morreu como muitas outras mulheres que são vítimas de seus parceiros imbuídos de um sentimento de pertencimento que não deveriam ter”, ressaltou

Segundo Karina, Leda, na verdade, foi o terceiro caso na cidade em menos de seis meses.

“Como a última gota para transbordar um balde cheio de indignação esse caso despertou nas pessoas da cidade a necessidade de agir e assim surgiu o movimento “Mulheres pela Vida”, que pretende reunir mulheres de diversos setores da comunidade em prol de uma mesma causa: o combate à violência contra as mulheres.

Karina ressalta que membros de sindicatos, grupos religiosos, políticos, entre outros têm trabalhado juntos para que outros eventos possam ocorrer após a caminhada dessa semana. “Precisamos de mais espaços, ações e movimentos com a finalidade de falar em nome da não violência, seja ela de qualquer tipo, principalmente a de gênero. Se una a essa luta, em Estância, o dia 24 de abril, a partir das 16h é momento de união, protesto e despedida”, conclama.

 
 
 

Mulher com osteogênese “ossos de vidro' luta por mais educação

Glady Maria da Silva, 51 anos, se formou em Psicologia

 

Limitações existem para serem superadas. Pelo menos, sempre foi assim para Glady Maria da Silva, 51 anos. A menina que só conseguiu o direito de estudar aos nove anos por conta da doença chamada osteogênese imperfeita, conhecida popularmente como “ossos de vidro”, formou em Psicologia e já está cursando a segunda pós-graduação. Por conta da fragilidade óssea, a baiana já teve mais de 100 fraturas, mas a persistência para vencer as adversidades foi maior. “As escolas alegavam que minha presença ia afastar os outros alunos. Quando comecei a estudar, aos 9 anos, já sabia ler e escrever. Aprendi em casa porque minha mãe não desistiu de mim”, conta, destacando que com a mãe aprendeu a lidar com olhares e comentários preconceituosos.


Todos os empecilhos que poderiam fazê-la desistir, a tornaram mais forte. “Queria conquistar tudo que as pessoas normais tinham. Queria estudar, trabalhar e, com muita luta, consegui”, comemora com ar de vitoriosa. Carregada de forma sempre cuidadosa por pessoas conhecidas para não ter mais uma fratura, ela frequentou a sala de aula.
Após a conquista do sonhado diploma, seguiu investindo em conhecimento. Hoje, atende em um consultório particular, mas não deixa de atuar voluntariamente na área de Psicologia, amenizando sofrimento de muitos pacientes que não poderiam pagar pelo atendimento especializado. “Também toco teclando na paróquia que eu frequento”, acrescenta orgulhosa.
Glady só aceitou a cadeira de rodas, quando entrou na faculdade e sentiu a necessidade de se locomover sozinha. “Minha cadeira são minhas pernas. Como ela passei a ter uma autonomia muito grande, consigo me locomover para onde quero”.
Sonhos literário
Glady pensa em lançar um livro, uma autobiografia. A obra já tem até título: “Minha Auto Superação”, Traduzir a própria história em palavras tem sido difícil. “É como se eu revivesse tudo novamente, pois você acaba acessando muitas emoções, mas eu espero que esse livro sirva de ajuda e suporte para quem precise”, afirma. O livro já está em fase de revisão, mas a autora ainda batalha por apoio para publicação. “Não desisto; sou guerreira”.
Além do livro, ela não abre mão de um outro sonho: reformar a casa em que mora com a mãe, de 81 anos. Além de adaptar o imóvel às suas necessidades de acessibilidade, o desejo é dar um pouco mais de conforto para sua mãe, que venceu todas as dificuldades e a criou sozinha.
Inclusão Educacional
O Educa Mais Brasil, maior programa de inclusão educacional do país, compartilha histórias inspiradoras como a da Glady Maria. Muitos jovens sonham em cursar em uma escola ou faculdade. O que não sabem é que podem contar com o apoio de bolsas de estudo com desconto de até 70% nas mensalidades. Quer saber como? Clique aqui.. A inscrição é gratuita.
fonte: Educa Mais Brasil

 
 
 

Ativista Cristiane da Ong Canto Vivo fará feirinha de troca de

plantas por ração para animais em abrigos dia 29 de abril

 

O Instituto Canto Vivo vai realizar mais uma Feirinha de Troca neste mês. A ação tem como objetivo ajudar animais assistidos por abrigos ou associações de proteção, fazendo com que mudas de plantas sejam trocadas por rações para gato e/ou cachorro. Dessa vez, o evento ocorre no domingo 29 de abril, Parque Augusto Franco, a Sementeira, das 13h às 17h.

Cada quilo do alimento animal vale uma plantinha. Projetos interessados em receber a ração podem se cadastrar através do telefone (79) 3022-7090. Para participar, é necessário que o abrigo esteja localizado em Sergipe.

Canto Vivo


O Instituto Canto Vivo é uma organização não governamental (ONG), fundada em 2001 pelos ativistas ambientais Albino Neto e Cristiane Nogueira. A ONG tem a missão social de semear de forma revolucionária e pensar no meio ambiente associando-o à qualidade de vida e inclusão social, mediante a realização de projetos educacionais e ambientais voltados para a preservação vegetal de forma sustentável e participativa.

 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa.

 
 
 

Vereadora Emília Corrêa poderá sair candidata ao Senado

 

Nesta sexta-feira, 20, durante entrevista ao Programa Giro da Notícia, apresentado por Claudio Leite e Flávio Lima, na Rádio Cultura AM 670, a defensora pública e vereadora, Emília Corrêa (Patriota), respondeu sobre a possibilidade em ser a grande aposta do partido na eleição de 2018, para uma das vagas ao Senado Federal.

“O partido indicou o nome para uma pré-candidatura ao Senado. Fui consultada e até o próximo mês haverá um Encontro Estadual do partido. Solicitei esse tempo para avaliar a conjuntura, mas não descarto que aconteça, não tenho medo de desafios”, assegurou.

Ascom / EC

 
 
 

Renato Piaba está de volta a Aracaju com espetáculo “Como entender as mulheres”

 

Espetáculo será apresentado nos dias 12 e 13 de maio

 

O humorista baiano Renato Piaba está de volta a Aracaju com a comédia ‘Como entender as mulheres’. A peça vai ser apresentada nos dias 12 e 13 de maio no Teatro Tobias Barreto, às 21h e 20h, respectivamente.

Como o título propõe, o humorista vai abordar assuntos que fazem parte do dia-a-dia das mulheres, sejam solteiras, casadas, viúvas, não importando a idade ou o credo. No espetáculo, Piaba se diverte com o público e tenta desvendar os segredos das mulheres, fazendo estripulias com a plateia e rasgando o verbo dos casais apaixonados e solteiros.


Com muito bom humor, o artista baiano que recebeu o título de Cidadão Aracajuano, promete arrancar gargalhadas do público falando sobre solidão, ciúmes, traições, inseguranças, independência econômica, trabalho, filhos e todas as aflições e dúvidas que habitam o universo feminino.
Em clima de talk-show, Piaba brinca com a plateia e mostra ao público o que nem Freud explicou e nem Camões versou ao longo dos tempos: ‘Como Entender as Mulheres’.
Ingressos
Os ingressos estão sendo vendidos por R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia) na bilheteria de Teatro Tobias Barreto e também no site Central do Ingresso. A promoção é a casadinha, sendo dois ingressos por R$ 50 + dois quilos de alimentos (que devem ser entregues no dia do espetáculo) e pode ser comprado através do site www.centraldoingressose.com.br. A inteira solidária custa R$ 50 + dois quilos de alimentos também.
Conforme determina a nova lei da meia-entrada está assegurado 40% dos ingressos colocados à venda para o acesso de estudantes, idosos, jovens carentes e PNE com acompanhante. Total: 1000 – 40% 400 (meia). Os Professores de Sergipe também tem direito à meia-entrada por conta de uma Lei Estadual (fora da cota). A produção nacional autorizou que policiais (guarda municipal, civil, militar, federal, bombeiros ou Exército) também possam comprar meia-entrada (fora da cota). Outras informações através dos números (79) 3021-2810, 99112-9035 ou 99982-2214.

 
 
 

 Grupo Godllywood de mulheres ajudam a resgatar

 valores em Aracaju

 

O Godllywood, idealizado pela escritora e apresentadora Cristiane Cardoso, é a união de três grandes grupos da Igreja Universal: Pré-Sisterhood, Sisterhood e Mulher V. O objetivo é alcançar mulheres de diferentes idades, que pretendem se tornar pessoas melhores em todos os aspectos.


No domingo, dia 16, em Aracaju aconteceu à consagração do grupo que realiza trabalhos em presídios femininos. O grupo busca levar a Palavra de Deus às detentas e realizam várias ações sociais. A consagração ocorreu no templo da Igreja Universal, no bairro Ponto Novo.O objetivo conforme salienta a membro Sergipe, Sarita Araújo é alcançar mulheres de diferentes idades.


Criação do projeto


O projeto, criado em dezembro de 2009, em Houston, no Texas (Estados Unidos), está presente em todas as sedes da Igreja Universal.

 

Ele nasceu de uma análise sobre valores errôneos que a sociedade vem adquirindo por meio do cinema, mídia e, principalmente, Hollywood.
“Nós, pastores, não temos tempo e nem condições para fazer, mas o Godllywood tem. Abrimos esse espaço na Igreja porque é um espaço da mulher para a mulher, assunto entre elas, que nós não temos acesso por conta de sermos homens. Então, quando nós aprovamos esse projeto, a intensão foi edificar a parte feminina que estava vazia”, explica o bispo Edir Macedo.
Segundo o bispo, a mulher alcança e fala ao coração da mulher. “Assim como a música é o resultado de um conjunto, o Espírito Santo é do trabalho de cada um de nós, seja dos homens ou das mulheres. Então, quem é que seja que participe do Godllywood vai ser um instrumento para ajudar outras pessoas.”
Cristiane Cardoso criou o projeto com a intenção de resgatar valores perdidos pela sociedade moderna, como a graciosidade, a feminilidade, o romantismo e a beleza interior e exterior que cada mulher tem, apesar de, muitas vezes, ela não se dar conta disso. Outra característica é a preocupação com a vida espiritual e a questão social. Asilos, orfanatos, hospitais e casas de apoio são constantemente visitados pelas integrantes, devido à percepção que elas adquirem de que ajudar o próximo é, acima de tudo, amparar a si mesmo.

 
 
 

Alinne Rosa comanda baile na Titanium

Baile da Rosa acontece no dia 20 de abril
 

A cantora Alinne Rosa desembarca em Aracaju no dia 20 de abril para comandar o Baile da Rosa na Titanium. O evento temático e contagiante traz o novo show da cantora. Klessinha e Farra de Barão, Samba Maria e DJ Dantikoo também fazem parte da programação da festa.

Os ingressos Vip e Lounge estão à venda na loja Calvin Klein - Shopping Riomar, Loja Habyto - 13 de Julho, com comissários autorizados e no site Ticket Mais. Informações estão disponíveis por meio dos telefones (71) 9 9171 0055 e (79) 9 9191 4008.

Com informações da organização do evento

 
 
 

Fonoaudióloga alerta para a importância de ficar atento

 à saúde vocal

Dia Mundial da Voz – 16 de abril

 

A especialista perícia vocal Karine Pontes, Prof.ª de fonoaudiologia do Instituto de Desenvolvimento Educacional, explica como prevenir problemas com a voz

Dia 16 de abril é comemorado o Dia Mundial da Voz, com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância de cuidar da saúde vocal. A fonoaudióloga e especialista em voz Karine Pontes, professora de perícia vocal do Instituto de Desenvolvimento Educacional(IDE), explica que hábitos simples no dia a dia já podem ajudar a prevenir problemas com a voz.


  “Entre os principais cuidados, evitar abuso e maus usos vocais, como falar forte, alto, gritar, pigarrear e fazer ‘competição sonora’, quando conversamos alto no barulho”, orienta.

“Conversar bem acima do tom quando se tem muito ruído em volta, realmente, força a voz. Nessa situação, ela é produzida com esforço e intensidade elevada. O ideal é se afastar um pouco do barulho, se quiser conversar. No caso de festas, converse longe de caixas de som”, recomenda. Outra dica é investir numa boa hidratação, que é essencial para o bom funcionamento da voz. De acordo com a professora de fonoaudiologia, beber água é fundamental para todo o organismo, assim como para as pregas vocais, pois elas estando bem hidratadas, a voz é produzida de forma mais harmoniosa e sem esforço.


“Se o indivíduo usa a voz profissionalmente, como professores e cantores, é melhor optar por água em temperatura ambiente, pois bebidas muito geladas podem causar choque térmico e, as quentes, vasodilatação”, explica Karine, lembrando que realizar mudanças de temperatura para fins terapêuticos da voz, só devem ser feitas sob orientação de um fonoaudiólogo. “Deve-se também evitar comidas muito condimentadas, gaseificadas e muito ácidas para não favorecer o refluxo laringofaríngeo, que pode agredir as pregas vocais”, alerta Karine.


Para quem usa muito a voz no trabalho, os cuidados devem ser redobrados. “O ideal é procurar também um acompanhamento de fonoaudiólogo para orientar sob aquecimento, desaquecimento e prevenção de lesões de pregas vocais”. Outro fator importante é ficar atento a alguns sintomas, já que o esforço vocal pode gerar desde fadiga até alguma lesão de prega vocal, surgindo queixa como a rouquidão. “Caso essa rouquidão persista por mais de 15 dias, deve-se procurar ajuda profissional de médico otorrinolaringologista ou fonoaudiólogo”, recomenda a professora de fonoaudiologia do IDE Karine Ponte.

SOBRE O IDE – O Instituto de Desenvolvimento Educacional (IDE), desde 2006, é uma instituição especializada em cursos de extensão e pós-graduação na área de saúde, com mais de 120 cursos nas áreas de medicina, enfermagem, farmácia, fisioterapia, nutrição, educação física, psicologia e fonoaudiologia. Com matriz no Recife e atuação no interior de Pernambuco, como Caruaru, Garanhuns e Petrolina, tem unidades também espalhas por vários estados do Norte e Nordeste, como Ceará, Bahia, Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte e Pará. Possui cerca de 5.500 alunos matriculados e 200 turmas abertas, sendo a maior estrutura física, administrativa e pedagógica do Nordeste voltada exclusivamente para cursos de pós-graduação em saúde.

SERVIÇO | INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL
Onde (sede): IDE - Rua Manuel de Brito, 311 – Pina, Recife (PE)
Telefones: (81) 3465.0002 e 0800 081 3256
Site: www.idecursos.com.br.

 
 
 

Câmara recebe pedido de impeachment contra prefeita


Advogado relata ilegalidades cometidas pela gestora de Riachão

 

A Câmara Municipal de Vereadores de Riachão do Dantas recebeu pedido de impeachment formalizado pelo advogado Carlos Augusto Guimarães Pinto Júnior contra a prefeita Gerana Gomes Costa Silva (PT do B), acusada de pagar salários para cargos inexistentes na estrutura administrativa da prefeitura e descumprir ordem judicial, além de não repassar corretamente os recursos para a Câmara Municipal de Vereadores.

O advogado explica que encontrou irregularidades na prefeitura que se caracterizam como flagrante crime de prevaricação.


De acordo com o advogado, o município de Riachão do Dantas ingressou, em 2016, com ação de execução contra o ex-prefeito Laelson Menezes [esposo da atual prefeita], que foi condenado pelo Poder Judiciário e também pelo Tribunal de Contas do Estado a devolver recursos ao município em valores superiores a R$ 609 mil, decorrentes de pagamento indevido de diárias.

Além desta irregularidade, que beneficiou diretamente o marido da prefeita, há outras irregularidades também classificadas graves. Conforme o advogado, a prefeita está pagando salários a servidora que ocupa cargo inexistente na estrutura administrativa do município. Segundo o advogado, a prefeita Gerana Gomes encaminhou para a Câmara de Vereadores projeto de lei criando cargos de secretário adjunto, mas os vereadores rejeitaram a proposta.

Mesmo assim, conforme o advogado, a prefeita nomeou uma senhora para exercer a função de secretária adjunto. “Por não haver na estrutura do município a existência de tal cargo, acabou o município por realizar pagamentos salariais a pessoa lotada em cargo que não existe”, destaca o advogado. Além destas ilegalidades, o advogado garante que a prefeita não cumpre a Constituição Federal e está repassando o duodécimo para a Câmara de Vereadores em valores inferiores aos previstos em lei, irregularidade, na ótica do advogado, que pode “ensejar no crime de responsabilidade”.

O Portal Infonet tentou ouvir a prefeita. A assessoria de imprensa informou que ela só se manifestará sobre a questão quando for notificada pela Câmara de Vereadores. O Portal permanece à disposição. Informações podem ser enviadas por e-mail jornalismo@infonet.com.br ou por telefone (79) 2106 - 8000.

Por Cássia Santana

 
 
 

Ativista Cristiane da Ong Canto Vivo fará feirinha de troca de

plantas por ração para animais em abrigos

Evento acontece no dia 29, a partir das 13h, na Sementeira

 

O Instituto Canto Vivo vai realizar mais uma Feirinha de Troca neste mês. A ação tem como objetivo ajudar animais assistidos por abrigos ou associações de proteção, fazendo com que mudas de plantas sejam trocadas por rações para gato e/ou cachorro. Dessa vez, o evento ocorre no domingo 29 de abril, Parque Augusto Franco, a Sementeira, das 13h às 17h.

Cada quilo do alimento animal vale uma plantinha. Projetos interessados em receber a ração podem se cadastrar através do telefone (79) 3022-7090. Para participar, é necessário que o abrigo esteja localizado em Sergipe.


Canto Vivo


O Instituto Canto Vivo é uma organização não-governamental (ONG), fundada em 2001 pelos ativistas ambientais Albino Neto e Cristiane Nogueira. A ONG tem a missão social de semear de forma revolucionária e pensar no meio ambiente associando-o à qualidade de vida e inclusão social, mediante a realização de projetos educacionais e ambientais voltados para a preservação vegetal de forma sustentável e participativa.

Fonte: Assessoria de Imprensa

 
 
 

Desembargadora Iolanda Guimarães pede aumento

de pena para deputados

 

Apesar de não estar concluído o julgamento dos deputados estaduais Augusto Bezerra (PHS) e Paulo Hagenbeck Filho, o Paulinho das Varzinhas (PSC), por suposto desvio das verbas de subvenções, sete desembargadores já declararam apoio ao voto do desembargador Roberto Porto pela condenação dos parlamentares e de outros quatro réus e absolvição de quatro pessoas que foram inicialmente denunciadas pelo Ministério Público Estadual. Mas a desembargadora Iolanda Guimarães entende que a pena aplicada aos parlamentares deve ser aumentada. O desembargador Roberto Porto, relator do processo, retira a acusação do crime de lavagem de dinheiro imputada pelo Ministério Público a todos os réus, que não foram absolvidos neste início de julgamento.


A desembargadora Iolanda Guimarães apresentou voto divergente, acompanhando a totalidade do entendimento do relator, mas incluindo o crime de lavagem de dinheiro contra todos os réus indicados pela condenação no voto do desembargador Roberto Porto.


Pelo voto divergente da desembargadora Iolanda Guimarães, em caso de condenação, a pena contra os deputados Augusto Bezerra e Paulinho das Varzinhas será ampliada para 17 anos, 11 meses e um dia de reclusão em regime fechado mais multa.

O desembargador Roberto Porto incluiu o crime de lavagem de dinheiro restrito ao empresário Nollet Feitosa Vieira, quesito que a desembargadora Iolanda Guimarães entende ser aplicado a todos os réus que teriam participado do suposto esquema para desviar as verbas de subvenções destinadas pela Assembleia Legislativa por indicação destes dois parlamentares.

Em ambos os votos, está incluída a expedição de mandado de prisão contra todos os réus, em caso de condenação, assim que não couber mais recurso junto ao Tribunal de Justiça de Sergipe e os réus perderão o direito de recorrer em liberdade às demais instâncias superiores.

Julgamento

O desembargador Alberto Romeu Gouveia pediu vista do processo assim que o desembargador Roberto Porto concluiu manifestação pela condenação dos parlamentares a mais de 12 anos de reclusão. Os desembargadores Ricardo Múcio, Diógenes Barreto, Elvira Almeida, Osório de Araújo Ramos e Rui Pinheiro anteciparam o voto acompanhando o relator. Os desembargadores Luiz Mendonça, Edson Ulisses e José dos Anjos optaram por aguardar o voto de vista, mas a desembargador Iolanda Guimarães apresentou voto divergente defendendo a ampliação da pena aos réus pela condenação, também, pelo crime de lavagem de dinheiro.

Conheça as penas defendidas pelo relator

Durante o julgamento o procurador-geral Rony Almeida retirou as acusações contra três réus para defender a absolvição da assessora parlamentar Eliza Maria Menezes, chefe de gabinete do deputado Augusto Bezerra, e também de Wellington Luiz Gomes Silva e José Agenilson de Carvalho Oliveira, por falta de provas do envolvimento deles neste suposto esquema.

O desembargador Roberto Porto não apenas acatou a tese do MPE e também incluiu a absolvição de Edelvan Alves de Oliveira. No entendimento do desembargador, apesar de emprestar a conta bancária para que os cheques da Associação dos Moradores do Bairro Nova Veneza (Amanova), Edelvan e Agenilson não teriam se beneficiado com as verbas de subvenções e teria agido apenas como amigo de Nollet Feitosa, tido como coordenador de todo esquema para desviar os recursos públicos. Já Eliza apenas agiu desenvolvendo as atividades como chefe de gabinete sem qualquer interferência no suposto esquema, na ótica do MPE.

Veja as penas defendidas pelos desembargadores:

Pelo voto do desembargador Roberto Porto, que mantém o crime de lavagem de dinheiro apenas contra Nollet Feitosa:

Deputado Augusto Bezerra – 12 anos, sete meses e um dia de reclusão em regime fechado

Deputado Paulinho das Varzinhas – 12 anos sete meses e um dia de reclusão em regime fechado

Ana Cristina Varela Linhares – chefe de gabinete do deputado Paulinho das Varzinhas – sete anos, quatro meses e 24 dias de reclusão em regime semiaberto

Clarisse Jovelina de Jesus – ex-presidente da Amanova – seis anos e seis meses de reclusão em regime semiaberto

Alessandra Maria de Deus – ex-tesoureira da Amanova – seis anos e seis meses de reclusão em regime semiaberto

Nollet Feitosa – que se apresentava como Carlinhos e tido como coordenador do esquema – pena base de 18 anos e dois meses de reclusão em regime fechado. Mas, pelo prêmio da delação premiada e ter contribuído com a investigação, a pena, pelo voto do relator, foi reduzida pela metade, fixada em nove anos e um mês de reclusão em regime fechado.

Apesar de Clarisse Jovelina também ter assinado a delação premiada, o desembargador Roberto Porto entendeu que este procedimento adotado pela ré em nada contribuiu com a investigação e optou por não reduzir a pena base.

Pelo voto da desembargadora Iolanda Guimarães, que inclui a todos os réus o crime de lavagem de dinheiro, além dos citados pelo Ministério Público Estadual e mantidos pelo relator - peculato e organização criminosa:

Deputado Augusto Bezerra – 17 anos, onze meses e um dia de reclusão em regime fechado.

Deputado Paulinho das Varzinhas – 17 anos, onze meses e um dia de reclusão em regime fechado.

Ana Cristina Varela Linhares – chefe de gabinete do deputado Paulinho das Varzinhas – 10 anos, quatro meses e 24 dias de reclusão em regime fechado.

Clarisse Jovelina de Jesus – ex-presidente da Amanova – nove anos e seis meses de reclusão em regime fechado.

Alessandra Maria de Deus – ex-tesoureira da Amanova – nove anos e seis meses de reclusão também em regime fechado e mantém as penas defendidas pelo desembargador Roberto Porto contra Nollet Feitosa.

Miniatura da Lava Jato

Os advogados de defesa dos réus que já tiveram condenação anunciada não ficaram satisfeitos e prometem recursos. Na ótica do advogado Israel Mendonça, que defende Nollet Feitosa, a pena base de 18 anos contra o cliente viola princípios constitucionais em decorrência dos benefícios previstos em casos de delação premiada e chegou a classificar este processo como uma miniatura da Lava Jato.

O advogado Aurélio Belém, que defende os deputados estaduais, chegou a cogitar que o Ministério Público de Sergipe teria utilizado “dois pesos e duas medidas” para tratar processos semelhantes, fazendo referência à decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que decidiu arquivar procedimento instaurado contra a ex-deputada Susana Azevedo, que atualmente ocupa cargo vitalício no Tribunal de Contas.


Na mesma época, Susana Azevedo, enquanto deputado estadual direcionou subvenções para a Amanova.

Mas o procurador Rony Almeida informou que são procedimentos distintos e que, contra os deputados estaduais Augusto Bezerra e Paulinho das Varzinhas, há provas contundentes que os recursos destinados pela Assembleia Legislativa à Amanova beneficiaram os próprios parlamentares. O procurador prefere não tecer comentários sobre a decisão do STJ. O julgamento não foi encerrado e continuará no próximo dia 25 no Tribunal de Justiça.

Por Cássia Santana
Foto: Bruno César / TJ-SE

 
 
 

Mestre de Cerimônias Crys Moura promoverá Oficina de Oratória em maio

 

Com inscrições abertas, essa oficina é uma oportunidade destinada para aquelas pessoas que pretendem melhorar a sua postura, perder a timidez e aperfeiçoar a eficiência da comunicação em público. Acontecerá em maio, com carga horária de 16h. aulas, filmagem e certificação pelo Centro Universitário Uninter. Informações pelos fones: 3211 4998/ 9 91114998.


ENTREVISTA EXCLUSIVA

A maioria dos eventos, independentemente do porte, possui alguém para comandar as ações e dar uma sequência lógica à participação dos presentes e às atrações, função comumente empregada aos mestres de cerimônia. Esses profissionais são conhecidos pela desenvoltura com o microfone nas mãos, bom humor e a habilidade de se comunicar, virtudes muitas vezes necessárias para conduzir eventos.
Exemplo disso é Crys Moura, mestre de cerimônia muito requisitada em Sergipe pelo seu estilo próprio. Nesse bate papo conheça um pouco sobre esse trabalho.


EXCLUSIVA - De onde veio a iniciativa de ter a sua profissão? Já havia vocação desde criança ou alguém te indicou esse ramo?


- Desde criança já dava sinais da minha paixão pela comunicação. Ouvia muito rádio e tentava imitar as locutoras que ouvia, achava tudo muito fascinante. Lembro também que improvisava uma canequinha plástica no cabo da vassoura para usar como microfone. Era sonho de criança... Que se tornou realidade quanto fiz 18 anos e passei num teste de rádio na Emissora Rio São Francisco, em Penedo/AL, cidade onde passei minha infância.

EXCLUSIVA - Como funciona a preparação de um mestre de cerimônias para cada evento? Você estuda cada público?


- Sim, cada evento é uma nova emoção e você tem que saber para qual público você irá falar, pois cada público tem uma linguagem própria. Procuro me preparar treinando o texto em voz alta, sempre imaginando já estar perante o público.

Exclusiva- Acontecem muitos imprevistos? Como lidar com essas situações?


- Sempre ocorrem as surpresas. Você prepara todo o script do evento e na hora H muda tudo. Já me acostumei a viver com essas situações. É preciso saber lidar com o improviso, o rádio nos ensina muito sobre isso.

EXCLUSIVA - Você acha que os mestres de cerimônia podem estar em qualquer evento ou existem nichos específicos?


- Todo evento precisa ter uma condução e o mestre de cerimônia é o profissional responsável por esse papel. Você pode ter uma estrutura fantástica, com excelente som, decoração, iluminação, mas, se o mestre de cerimônia não for um profissional competente pode comprometer todo o evento.

EXCLUSIVA - Como a equipe do evento e o próprio mestre de cerimônia podem agir para que ele seja atrativo e os convidados tenham a melhor experiência?


- Planejamento e organização, são essenciais para que o evento seja um sucesso. A equipe precisa estar em sintonia. O mestre de cerimônias precisa ter uma boa voz e principalmente uma comunicação que transmita alegria, espontaneidade e segurança. O rádio é um excelente aliado nesse processo, o mestre de cerimônias que trabalha em rádio desenvolve essa habilidade com muita facilidade.

EXCLUSIVA - Facilidade na fala é uma das qualidades obrigatórias de mestre de cerimônias, mas quais outras dicas você pode dar para quem quer seguir uma carreira nessa função?


- Para quem desejar seguir essa carreira, aconselho que procure um curso de rádio para conhecer técnicas de comunicação e sempre que tiver oportunidade treine a habilidade de falar em público, pois a prática fará com que cada vez mais você desempenhe melhor esse papel. Cursos de oratória também, são ótimas ferramentas de contribuição no aperfeiçoamento dessa performance.

EXCLUSIVA – Comente sobre o curso de Oratória que irá promover este mês?


- Nossa oficina de oratória é uma oportunidade para aquelas pessoas que pretendem melhorar a sua postura, perder a timidez e melhorar a eficiência da comunicação em público. Acontecerá em maio, com carga horária de 16 h. aulas, filmagem e certificação pelo Centro Universitário Uninter. Informações pelos fones: 3211 4998/ 9 91114998. Vagas limitadas.

BIOGRAFIA CRYS MOURA

Pernambucana, nascida em 08 de setembro de 1965, a radialista Maria de Lourdes Otaviano de Moura, conhecida por todos por Crys Moura (nome que ganhou quando assumiu seu primeiro trabalho como locutora apresentadora), desde criança, é apaixonada pelo rádio. Astuciosa, costumava imitar os locutores que ouvia e sonhava em um dia exercer a profissão de locutora, algo que muito lhe fascinava.


O sonho tornou-se realidade aos 18 anos, quando a Emissora Rio São Francisco, rádio pioneira do estado, em Penedo/AL., cidade onde viveu sua infância, abriu um concurso para locutora apresentadora e ela foi aprovada, passando a comandar o Programa A Dona da Noite, que ia ao ar, no horário das 22h, na programação diária da Emissora. A partir de então, certificou-se que essa era sua profissão. Trabalhou durante 5 anos na emissora e não parou mais. Foi convidada a trabalhar na FM Jornal de Propriá/SE, onde se firmou na profissão. Implantou duas rádios FM, na cidade de Penedo, logo depois vindo morar em Aracaju, onde trabalhou em grandes redes de Comunicação como Jornal, Liberdade e Cultura.


Em 2008, conheceu o Sistema Comércio, trabalhando como Mestre de Cerimônias, apresentando eventos corporativos e comandando o Programa Estação SESC.


Em 2016, foi convidada a ministrar oficinas de oratória na Faculdade Amadeus, encontrando, nessa função, a oportunidade de contribuir para que as pessoas dominem técnicas de oratória e possam desenvolver melhor a capacidade de comunicação em suas áreas de atuação.


Formada em Letras, Tecnóloga em Marketing, com MBA em Marketing Executivo, Crys Moura atualmente coordena as Câmaras Empresariais da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Sergipe – Fecomércio/SE.

 
 
 

Gestantes de Pirambu recebem enxovais pelo Programa

 Gestando Cidadania

 

Na manhã desta segunda, dia 9, a primeira-dama Patrícia Moura realizou a entrega de enxovais para as beneficiárias do Programa Gestando Cidadania. Foram entregues cerca de 20 kits masculinos e femininos, contendo mais de 30 itens, como roupinhas, saída de maternidade, travesseiro, fraldas, banheira, bolsas, além de diversos itens essenciais para os bebês. O Programa idealizado pela Prefeitura de Pirambu, através da Secretaria Municipal de Assistência Social e do Trabalho, é destinado à entrega de enxovais para gestantes a partir do sétimo mês, que estejam realizando o pré-natal na rede municipal de saúde e estejam em situação de vulnerabilidade social.


Na ocasião foi realizada também uma palestra com a psicóloga Maísa Silva, sobre o Fortalecimento de Vínculos, para as mães e grávidas participantes do programa. Segundo a primeira-dama Patrícia Moura, ela e o prefeito Élio Martins sabem que essa é uma ajuda necessária para as gestantes, por isso estão sempre preocupados em dar continuidade ao Gestando Cidadania, disponibilizando esses enxovais gratuitamente para as futuras mães.

Secom/Pirambu

 
 
 

Conceição Vieira assume hoje Superintendência da Casa Civil

 


A ex-deputada Conceição Vieira assume a Superintendência da Casa Civil já a partir de hoje, 09 de abril, quando se inicia a nova administração estadual, tendo à frente o governador Belivaldo Chagas.
Conceição Vieira em sua vida pública sempre trabalhou com as questões da inclusão social, pelo direito, pela saúde, trabalho e pela habitação.
Ela sustenta os ideais governamentais e estará colaborando no novo governo, visando contribuir e fortalecer o espaço da mulher na vida pública.
 

 
 
 

Repórter da Band Joana Treptow levou tapas no

Dia do Jornalista
 

Na mesma data se comemora o Dia do Jornalista, classe profissional odiada por alguns segmentos da sociedade por não entender o trabalho realizado, enquanto trabalhavam na cobertura da prisão do ex-presidente Lula alguns sofreram a repressão em sua carreira.
Vários profissionais de imprensa foram ameaçados ou agredidos no decorrer dos dois dias entre a chegada de Lula ao Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e sua entrada na carceragem da Polícia Federal em Curitiba.


Ao vivo pela GloboNews, o repórter Victor Ferreira se assustou quando um apoiador do presidente Lula surgiu atrás dele e gritou “Globo golpista”. Apesar do incidente, o jornalista continuou a transmitir informações.
Mais cedo, a equipe do repórter Roberto Kovalick, da Globo, foi expulsa por militantes petistas da entrada reservada às autoridades no aeroporto de Congonhas. O registro foi mostrado no ‘Jornal Nacional’.
A repórter da Band Joana Treptow e a repórter da rádio BandNews FM Gabriela Mayer levaram tapas na mão e na barriga, respectivamente, enquanto trabalhavam diante do Sindicato dos Metalúrgicos. No Instagram, Treptow fez um post para reafirmar sua paixão pelo jornalismo e lamentar a agressão.
“Que dia, que cobertura. E diante dos absurdos que aconteceram vale lembrar que: não importa o que aconteça, vandalismo não nos fará parar o nosso trabalho.”
Paula Araújo, repórter da GloboNews, teve uma entrada ao vivo suspensa quando militantes começaram a gritar “Fora Rede Globo”. Houve ainda quem levou ‘ovada’, pedrada e empurrões, além de xingamentos variados de militantes que aproveitaram a ocasião para verbalizar o ódio contra a imprensa.
O Sindicato dos Jornalistas de São Paulo postou um texto em seu site para rechaçar o uso de violência contra os profissionais da imprensa: “Condenamos que algumas pessoas que querem protestar contra os meios de comunicação o façam agredindo os profissionais”.
Foto: Reprodução/Instagram @joanatreptow / Blog Sala de TV.

 
 
 

CRAS do Santa Maria abre inscrições para cursos de bonecas

e corte e costura
 

Apostar num trabalho extra pode ser a solução para aumentar a renda, driblar o desemprego e até garantir a tranquilidade financeira. Para atender quem pensa em investir em capacitação e quer trabalhar de forma autônoma, o CRAS do bairro Santa Maria em parceria com o SENAC estará oferecendo cursos que podem ajudar a desenvolver habilidades para produção de artesanato. O curso de bonecas já começa no próximo dia 11 de abril, conforme ressalta a coordenadora, Cláudia Pereira. As inscrições são encerradas no dia 10 de abril. Já no dia 18 de abril será iniciado o curso de corte e costura. A idade mínima é de 16 anos. Mais informações no CRAS pelo telefone - 3179- 3069.

 
 
 

Sancionada hoje, lei que torna crime descumprimento de medidas protetivas em razão da violência contra mulheres
 

Na manhã de hoje, quarta-feira, 4, foi publicada no DOU a lei 13.641/18. A norma altera dispositivos da lei Maria da Penha – lei 11.340/06 – e tipifica o crime de descumprimento de medidas protetivas de urgência impostas em razão de violência contra mulheres. A lei foi sancionada pelo presidente Michel Temer.
De acordo com o texto, em caso de descumprimento das medidas, será aplicada de três meses a dois anos de detenção. A norma ainda estabelece que a configuração do crime independe de competência civil ou criminal do juiz que deferir a medida, e que em casos de prisão em flagrante, somente a autoridade judicial poderá conceder o direito à fiança.


Confira a íntegra da lei 13.641/18.


_________
LEI Nº 13.641, DE 3 DE ABRIL DE 2018
Altera a Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006 (Lei Maria da Penha), para tipificar o crime de descumprimento de medidas protetivas de urgência.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA
Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1º Esta Lei altera a Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006 (Lei Maria da Penha), para tipificar o crime de descumprimento de medidas protetivas de urgência.
Art. 2º O Capítulo II do Título IV da Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006 (Lei Maria da Penha), passa a vigorar acrescido da seguinte Seção IV, com o seguinte art. 24-A:
"Seção IV
Do Crime de Descumprimento de Medidas Protetivas de Urgência
Descumprimento de Medidas Protetivas de Urgência
Art. 24-A. Descumprir decisão judicial que defere medidas protetivas de urgência previstas nesta Lei:
Pena - detenção, de 3 (três) meses a 2 (dois) anos.
§ 1º A configuração do crime independe da competência civil ou criminal do juiz que deferiu as medidas.
§ 2º Na hipótese de prisão em flagrante, apenas a autoridade judicial poderá conceder fiança.
§ 3º O disposto neste artigo não exclui a aplicação de outras sanções cabíveis."
Art. 3º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Brasília, 3 de abril de 2018; 197º da Independência e 130º da República.

MICHEL TEMER
Torquato Jardim
Gustavo do Vale Rocha

 
 
 

Renato Piaba está de volta a Aracaju com espetáculo

"Como entender as mulheres"

 

O humorista baiano Renato Piaba está de volta a Aracaju com a comédia "Como entender as mulheres". A peça vai ser apresentada nos dias 12 e 13 de maio no Teatro Tobias Barreto, às 21h e 20h, respectivamente.

Como o título propõe, o humorista vai abordar assuntos que fazem parte do dia-a-dia das mulheres, sejam solteiras, casadas, viúvas, não importando a idade ou o credo. No espetáculo, Piaba se diverte com o público e tenta desvendar os segredos das mulheres, fazendo estripulias com a plateia e rasgando o verbo dos casais apaixonados e solteiros.


Com muito bom humor, o artista baiano que recebeu o título de Cidadão Aracajuano, promete arrancar gargalhadas do público falando sobre solidão, ciúmes, traições, inseguranças, independência econômica, trabalho, filhos e todas as aflições e dúvidas que habitam o universo feminino.

Em clima de talk-show, Piaba brinca com a plateia e mostra ao público o que nem Freud explicou e nem Camões versou ao longo dos tempos: "Como Entender as Mulheres".

Ingressos


Os ingressos estão sendo vendidos por R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia) na bilheteria de Teatro Tobias Barreto e também no site Central do Ingresso. A promoção é a casadinha, sendo dois ingressos por R$ 50 + dois quilos de alimentos (que devem ser entregues no dia do espetáculo) e pode ser comprado através do site www.centraldoingressose.com.br. A inteira solidária custa R$ 50 + dois quilos de alimentos também.

Conforme determina a nova lei da meia-entrada está assegurado 40% dos ingressos colocados à venda para o acesso de estudantes, idosos, jovens carentes e PNE com acompanhante. Total: 1000 - 40% 400 (meia). Os Professores de Sergipe também tem direito à Meia-Entrada por conta de uma Lei Estadual (fora da cota). A produção nacional autorizou que policiais (guarda municipal, civil, militar, federal, bombeiros ou Exército) também possam comprar meia-entrada (fora da cota).

Outras informações através dos números (79) 3021-2810, 99112-9035 ou 99982-2214.

Serviço
Espetáculo: "Como Entender as Mulheres”
Dias: 12/05, às 20h, e 13/05, às 21h
Local: Teatro Tobias Barreto
Ingressos: de R$ 30 a R$ 60
Assessoria de Imprensa: Navarro Comunicação - Jornalista Fredson Navarro.

 
 
 

Maristela Niz será cidadã aracajuana

 

A jornalista Maristela Niz receberá hoje o título de cidadã aracajuana, no plenário da Câmara Municipal de Aracaju, a partir das 17h. O pedido foi do vereador Isac Silveira (PCdoB).

Repórter da TV Sergipe, Maristela é paulista, da cidade de Santo André, mas mora em Aracaju desde a adolescência. Foi aqui que ela estudou, se formou e trabalha de forma íntegra e com grande competência, nas funções de repórter e apresentadora de um dos maiores veículos de comunicação do estado de Sergipe.

 
 
 

Idosas em Japaratuba participam de atividades em

comemoração à Páscoa

 

A coordenadora Anita agradeceu a prefeita Lara Moura por proporcionar várias atividades e brincadeiras voltadas a comemoração a semana da Páscoa, data esta, muito esperada pelos idosos participantes do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), situados na sede e no Povoado São José.

Além de muita diversão e descontração proporcionada pela equipe técnica do serviço, a melhor idade foi agraciada com deliciosos chocolates. “Ficamos felizes por concluir mais um projeto, nosso muito obrigado a Secretaria de Assistência Social e a prefeita Lara pelo apoio de sempre”, destacou a coordenadora Anita.

Durante atividades, o Padre Manuel Luiz dialogou com os idosos, falando dos benefícios que a melhor idade traz, encerrando com uma benção. No Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos são realizadas diversas atividades culturais, esportivas e oficinas de artes, música e dança com o objetivo de fortalecer os vínculos familiares e incentivar a convivência comunitária.


Fotos- Jeff Moura

 

 
 
 

'Declare Certo' começa hoje em Sergipe
 

O Sindicato das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas e das Empresas dos Serviços Contábeis do Estado de Sergipe – SESCAP/SE e a FENACON, com o apoio do Conselho Regional de Contabilidade de Sergipe – CRC/SE, Academia Sergipana de Ciências Contábeis – ASCC, PVCC – Programa de Voluntariado da Classe Contábil, Sindicato dos Contabilistas do Estado de Sergipe - SINDCONT/SE e o Questor Sistemas Inteligentes estarão realizando a semana do DECLARE CERTO.

O evento está na sua segunda edição e acontecerá período de 02/04 na segunda feira e vai até o dia 06/04 (sexta feira) seis de abril de 2018, no Shopping Jardins.

 

Essa campanha tem como objetivo orientar com clareza e sanar todas as dúvidas gratuitamente sobre a declaração do Imposto de Renda Pessoa Física.


Este ano a campanha será novamente em parceria com o Shopping Jardins, onde teremos profissionais qualificados para orientar e tirar as dúvidas de como proceder e o que declarar para a Receita Federal, nos horários das 10h às 22hs ininterruptamente.

Os Contribuintes que ainda não elaboraram as suas declarações e que estão com dúvidas devem comparecer para sanar as suas dúvidas, diz Josevaldo Mota que é Diretor de Eventos do Sindicato das Empresas de Contabilidade de Sergipe - SESCAP/SE. “Mais informações 79 998624406”.

 

 
 
 

ONU Brasil lança documentário ‘Mulheres Indígenas: Vozes

por Direitos e Justiça
 

Audiovisual resgata trajetória de incidência política das mulheres indígenas brasileiras no Brasil e no exterior e relação com Nações Unidas. Produção é iniciativa do Grupo Temático de Gênero, Raça e Etnia da ONU Brasil e do Centro de Informação Pública da ONU (UNIC Rio), com apoio da Embaixada do Canadá.Os dez anos da Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas são o mote do documentário Mulheres Indígenas: Vozes por Direitos e Justiça, lançado pela ONU Brasil nesta quinta-feira (29/3), em Brasília (DF). O vídeo recupera alguns momentos do diálogo entre as mulheres indígenas e as Nações Unidas em torno de sua articulação pelos direitos humanos e em defesa de seus povos e territórios, no Brasil e no exterior.


Nos últimos anos, aumentou a presença de mulheres indígenas em reuniões, conferências e audiências internacionais, regionais e locais. O documentário resgata a trajetória política das mulheres indígenas na Comissão da ONU sobre a Situação das Mulheres (CSW, na sigla em inglês), no Fórum Permanente dos Povos Indígenas e sua articulação no Acampamento Terra Livre e no Kuñague Aty Guasu – ambos os espaços políticos dos povos indígenas.
O documentário “Mulheres Indígenas: Vozes por Direitos e Justiça” também estabelece o intercâmbio entre Brasil e Canadá pela aproximação de mulheres indígenas dos dois países. O vídeo foi produzido pelo Grupo Temático de Gênero, Raça e Etnia da ONU Brasil e pelo Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), com apoio da Embaixada do Canadá. Produzido em 2017 e finalizado este ano, faz parte das ações da ONU nos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.
“As mulheres indígenas brasileiras têm demonstrado crescente liderança e participação política. O documentário registra a movimentação que elas têm feito para garantir as necessidades básicas da própria vida e de seus povos, além da garantia do direito às terras e aos territórios indígenas. O documentário mostra também o diálogo com as Nações Unidas, no esforço que as mulheres indígenas têm feito para garantir seus direitos humanos e de seus povos”, afirma Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil e coordenadora do Grupo Temático de Gênero, Raça e Etnia da ONU Brasil.
Marie-Claude Bibeau, ministra de Desenvolvimento Internacional e da Francofonia do Canadá, também chama atenção para o empoderamento político das mulheres indígenas. “Precisamos intensificar nossos esforços para oferecer oportunidades para todas as mulheres, inclusive as mulheres indígenas, expressarem suas preocupações e advogarem por seus direitos. As mulheres indígenas neste documentário sabem disso. Encorajo todos a ouvir suas histórias. E promover esse documentário para que suas vozes possam ser ouvidas não apenas pelo governo e pela sociedade brasileira, mas além das fronteiras do Brasil”, considera.
Maurizio Giuliano, diretor do UNIC Rio, ressalta a importância de dar voz às mulheres indígenas. “Ouvi-las e empoderá-las é o primeiro passo para que possam conquistar espaços em seus territórios, seja nas aldeias ou nas cidades”.
Acesso ao documentário – “Mulheres Indígenas: Vozes por Direitos e Justiça” está disponível nas plataformas digitais da ONU Brasil, entre elas o Youtube.

 
 
 

Conselho do Direito da Mulher empossa Érika Leite

Érika Leite também preside a União Brasileira das Mulheres

 

A nova diretoria do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (CEDM) tomou posse na manhã do dia 27 de março, em solenidade realizada na sede da Secretaria de Estado da Mulher, Inclusão e Assistência Social (Seidh). O evento reuniu representantes de diversos órgãos públicos e movimentos sociais. Composto por representantes governamentais e da sociedade civil, o CEDM passa a ser presidido por Érika Leite, que também dirige a União Brasileira das Mulheres (UBM) em Sergipe.


Segundo a nova presidente, seu trabalho pelo direito das mulheres começou cedo, ainda no movimento estudantil, e já são mais de oito anos de militância. “É uma luta que assumi para mim e para todas as companheiras, adultas ou crianças, para que eu possa ajudá-las direta ou indiretamente”, disse. Sobre a missão de presidir o CEDM, Érika destacou a importância do Conselho no enfrentamento à violência. “Vamos continuar fortalecendo nossa rede com o Governo, o Ministério Público, Tribunal de Justiça, a Frente Parlamentar em defesa da Mulher na Assembleia Legislativa, e a sociedade como um todo. Vamos estabelecer esse contato e, assim, diminuir os índices do feminicídio”, afirmou.


Durante a solenidade, Érika ainda prestou uma homenagem às mulheres vítimas de feminicídio em Sergipe, todos por arma branca. Ao ler os nomes da lista, a plateia respondia: “presente!”, num ato de reverência. Foram mencionadas por Érika, “Erislane Matos, de São Cristóvão; Marjorie Ane, de Moita Bonita; Ângela Maria, de Itabaiana; Editelma Maciel, de São Cristóvão; Michele Nascimento, de Nossa Senhora do Socorro; Maria Clara, de Estância, Rafaela Santos, de Malhador; Eliane de Jesus, de Itaporanga D’Ajuda; Camila Rocha, de Nossa Senhora da Glória”.


“É por elas que estou aqui, não só por elas, mas também pelas meninas que, desde seu processo de criação, já começam a ser violentadas no próprio seio familiar. Não vamos nos calar. Nós mulheres temos que nos articular e nos fortalecer e, assim, conquistar nossa voz e o nosso poder”, finalizou a presidente.


Edivaneide Paes, coordenadora de Políticas para Mulheres da Seidh, agora vice-presidente do CEDM, destacou a importância de uma representante da sociedade civil chegar à presidência do Conselho. “Quanto mais vozes, melhor para a nossa luta. Érika Leite foi eleita por nos representar e sabemos que ela vai ampliar anda mais nossa rede para enfrentar a violência contra a mulher. Nós, do Governo Estadual, aqui estamos para fortalecer esta luta e colocar o que estiver ao nosso alcance em prol do avanço das políticas públicas e proteção e atenção à mulher em Sergipe”, disse.


Encontros abertos


As reuniões do CEDM são abertas para quem desejar participar e contribuir para a construção políticas públicas. Elas acontecem mensalmente, nas segundas semanas de cada mês, às terças-feiras, às 9h, na sede da Seidh, situada na Rua Santa Luzia, 680, bairro São José.


Fonte e foto: Seidh

 
 
 
 

 Construtora Impacto entrega Villa Astúrias em noite memorável
 

 

A Construtora Impacto, empresa com 32 anos de história no ramo de construção civil, fez a entrega do Villa Astúrias, um grande empreendimento localizado na região mais nobre do Conjunto Santa Lúcia. A solenidade – que contou com a presença dos proprietários, familiares e autoridades – aconteceu na noite do último dia, 23, no Salão de Festas do condomínio.
O Villa Astúrias é um empreendimento diferenciado entre os demais da região. Sua estrutura moderna e alto padrão de qualidade chamaram a atenção dos moradores. O condomínio conta com vagas para visitantes, guarita de segurança, foyder de entrada com pé direito triplo, espaço para estudos, sala de cinema, sala de reuniões, espaço gourmet, piscina com raia e deck molhado, praça de convivência, churrasqueira com forno de pizza, salão de festas com varandão medindo 238,76 metros quadrados, espaço para a mulher, quadra de streetball, espirobol, quadra de esportes, parque infantil, brinquedoteca, salão de jogos, academia, espaço para artes marciais, espaço yoga, lan house, car wash, bicicletário e área administrativa. O diretor-presidente, Henrique Côrtes, destacou os avanços da Construtora. “O ciclo de construção civil leva cerca de cinco anos. O lançamento do Villa Astúrias aconteceu em abril de 2014 e estamos fazendo entrega em 2018, o que demonstra nosso trabalho e empenho para realizar o sonho da casa própria”, ressaltou.
“Com a chegada dos meus filhos, a Impacto mudou de patamar no ponto de vista quantitativo e qualitativo. Foi a partir daí que surgiram produtos mais arrojados e tecnologia moderna, que vem me motivando cada vez mais”, completou Côrtes.
Henrique Côrtes agradeceu aos colaboradores e parceiros. “A equipe técnica dos engenheiros é de extrema importância no processo de materialização do empreendimento. Agradeço também a equipe de vendas, administrativo, financeiro e aos parceiros que são corretores, imobiliárias e a Caixa Econômica Federal. Mais uma vez a missão foi cumprida”, completa.


O gerente Regional de Construção Civil da Caixa Econômica Federal em Sergipe, Rubens Fulber – que representou o superintendente Marcos Antônio Queiroz – destacou a qualidade do empreendimento e enalteceu o trabalho da Construtora e seus colaboradores. “O Villa Astúrias é um empreendimento ícone não só do Santa Lúcia, mas também de Aracaju, o que demonstra a capacidade, o empenho e a dedicação de toda equipe da Impacto, empresa que busca sempre o melhor para seu cliente. Sabemos que esse nível de excelência não acontece por acaso, afinal, determinação e sucesso fazem parte dos valores do empresário Henrique Côrtes, que conseguiu transmitir para os filhos e permeiam os colaboradores. Essa parceria é motivo de satisfação e orgulho para a Caixa Econômica”, pontuou Fulber.

“O Villa Astúrias é um empreendimento ícone não só do Santa Lúcia, mas também de Aracaju, que demonstra capacidade, empenho e dedicação de toda equipe da Impacto, empresa que busca sempre o melhor para seu cliente. Sabemos que esse nível de excelência não acontece por acaso, afinal, determinação e sucesso fazem parte dos valores do empresário Henrique Côrtes, que conseguiu transmitir para os filhos e permeiam os colaboradores. Essa parceria é motivo de satisfação e orgulho para a Caixa Econômica”, pontuou Fulber.

Proprietário de uma das unidades do Villa Astúrias, o policial civil Victor Relson falou da sua satisfação desde o momento da compra até o recebimento. “A construtora se faz muito presente e atende as necessidades do cliente. Adquirir um imóvel como esse foi a realização de um sonho”, destacou.

“É um sonho realizado que está começando hoje. Um amigo do meu filho esteve na minha casa e mostrou várias opções, que me encantaram e fizeram com que eu comprasse um apartamento no Villa Astúrias. A expectativa em vir morar aqui é grande”, comemora a professora Maria Batista Santos.

Participaram da cerimônia de entrega o deputado estadual, Luciano Pimentel; gerente Regional de Construção Civil em Sergipe da Caixa Econômica Federal, Rubens Fulber e a gerente geral da Caixa Econômica agência Fausto Cardoso, Margarete Abreu.

 
 
 

Mulheres artesãs de Estância promovem Café com Prosa

com exposição artística

As mulheres artesãs do projeto Vida Maria da Associação Produtiva Mulheres Criativas de Estância promovem hoje, às 15h, na Escola Estanciana das Artes e Memorial da Cultura, o CAFÉ COM PROSA, com uma programação cultural e exposição dos trabalhos artísticos bem, autênticas obras de arte.
O objetivo é valorizar o artesanato, com interação da produção coletiva e difundir cada peça criada pelas artesãs, a exemplo de bonecas, esculturas, bordados e crochês, dentre outros.

A exposição mostra toda a capacidade criadora dessas mulheres.

 

 
 
 

Mulheres participam de roda de conversa no 1º Encontro

da Mulher Empreendedora
 

O 1º Encontro da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios de Sergipe, promovido pela Fecomércio, por meio da Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios foi encerrado com sucesso. O evento contou com palestras, oficinas e ações de integração em dois dias de muito conhecimento para as mulheres.
No primeiro dia houve a realização de várias ações, como palestras de educação criativa, finanças empresariais e familiares, mediação de conflitos, relações trabalhistas, desenvolvimento de planos de negócios, entre outras atividades, roda de conversa (Evani- UNINTER (Centro Universitário Internacional);  Lis Andrade- Couch; Suzana Souza- Contadora; Salete Leite- contadora e Gizelma Lima- Coordenadora da Câmara da Mulher) com empresárias sergipanas que são consideradas cases de sucesso do empreendedorismo no Estado.

 

Além disso houve uma palestra sobre os desafios das mulheres empreendedoras em Sergipe, proferida pela promotora do Ministério Público de Sergipe, Euza Missano. A memória da vereadora carioca Marielle Franco, assassinada recentemente, foi homenageada com um minuto de silêncio durante o encontro.
Convidado para participar do evento, Laércio Oliveira, presidente da Fecomércio, conversou com as mais de 100 mulheres que acompanharam o encontro, sobre a importância da mulher como empreendedora e citou duas pessoas para ele muito importantes, as empreendedoras Diana Dantas e Neide Santana, que participam de sua vida profissional há mais de 20 anos.
Laércio citou no exemplo das duas, a relação de sucesso empresarial que o próprio obteve, com a importante participação das administradoras e destacou que as mulheres hoje estão na vanguarda do mundo empresarial sendo maioria em Sergipe.
“Hoje, de acordo com dados pesquisados, 56% das empresas de Sergipe são comandadas por mulheres. Esse é um dado muito importante para que entendamos por que Sergipe é um estado com tanto desenvolvimento. As mulheres comandantes de negócios fazem trabalhos exemplares no controle e na administração das empresas. Eu fico muito orgulhoso em saber que mais da metade das empresas de nosso estado são comandadas por mulheres, mostra que sua dedicação e foco fazem o mundo dos negócios ficar mais avançado e ajudam a desenvolver nossa economia. As mulheres empreendedoras são hoje a parte mais importante da economia sergipana, visto que são maioria no mundo empresarial”, destacou.

 

O Encontro da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios de Sergipe é uma iniciativa da Fecomércio, por meio da Câmara da Mulher, coordenada pela consultora e empresária Gizelma Lima, que planejou uma programação abrangente para todas as áreas do universo econômico e empresarial, com a finalidade de aprimorar as competências e capacidades das mulheres empreendedoras.

   

 

Fotos: Agência sergipe

 
 
 

Mulheres discutem empoderamento feminino no I Encontro

de Mulher Empreendedora da Fecomercio/SE
 

 

Prossegue hoje, dia 24 de março, o I Encontro de Mulheres Empreendedoras e Gestoras de Negócios promovido pela Fecomercio/SE, aberto ontem pelo presidente da instituição, Laércio Oliveira, com as presenças da coordenadora da Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios de Sergipe Gizelma Lima, contadora e consultora em gestão e da coordenadora do evento, Chris Moura.

A Câmara da Mulher é uma ferramenta cujo objetivo é promover a integração e o fortalecimento das mulheres no mercado local. Uma programação especial foi promovida para receber as mulheres participantes para o encontro e contou com Roda de Conversa com as palestrantes, empresárias Suely Hagenbeck (Casa Alemã) e Jane (Pastel da Jane), a enfermeiras Ivana Tavares (Constat) e Sonia Delmondes (Constar), que relataram suas histórias de empreendedorismo, experiência e perspectivas para o cenário atual.

O evento é aberto ao público de forma gratuita, acontece hoje no primeiro piso do Shopping RioMar e discute a luta das mulheres em relação ao fortalecimento feminino e como construir estratégias de empoderamento para as mulheres.


EMPODERAMENTO FEMININO

 

                                                                      
O empoderamento feminino tem sido discutido no mundo inteiro, em relação ao movimento das mulheres, a busca e a luta dessas mulheres pelo seu espaço, pelos seus direitos, e também pelas suas particularidades. A promotora do Ministério Público de Sergipe, Euza Missano proferiu a palestra “Momentos e Desafios das Mulheres Empreendedoras”. Ela fez uma abordagem sobre a importância da mulher investir seu tempo para angariar melhor otimização em seus negócios.

O evento oficial foi aberto às 16h, com a presença do presidente da Fecomercio/SERGIPE, Laércio Oliveira que ressaltou a importância da criação da Câmara da Mulher em Sergipe, fundada em 2017 com o propósito de apoiar o empoderamento feminino sergipano, com isso aumentar o número de mulheres nos negócios, já que elas ocupam cerca de 52% do mercado de trabalho no Brasil. Os dados expostos mostram que as mulheres estão evoluindo no empreendedorismo.

A Câmara é composta por mulheres titulares, sócias, administradoras ou pessoas jurídicas, que atuam no comércio de bens, serviços e turismo, em Sergipe. “Aos membros compete apresentar e discutir propostas de interesse da classe a serem levadas às reuniões organizadas pela Câmara, contribuindo para a completa realização dos objetivos da entidade”, informou Oliveira.


CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DE HOJE

Dia 24.03


10h00 Abertura do Espaço Mulher Empreendedora.
11 às 13h Talk Show – Saúde e bem estar
14 às 16h Oficina de Comunicação e Marketing
16 às 18h Talk Show – Negócios e finanças
18h00 Encerramento do Evento


Por Cláudia Meireles
 

 
 
 
 

1º Encontro da Mulher Empreendedora e Gestora de

Negócios de Sergipe hoje no Shopping RioMar
 

Com o empoderamento feminino no mundo empresarial, a Fecomércio-SE criou a Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios de Sergipe. Uma ferramenta que tem promovido a integração e o fortalecimento das mulheres no mercado local. Com vistas em ampliar sua atuação e promover a capacitação das empresárias, foi elaborada uma programação especial para o 1º Encontro da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios de Sergipe.


O evento, que acontecerá na praça central do Shopping RioMar, trará palestras em formato de “talk Show” e oficinas para ampliar o conhecimento das participantes. Confira a programação:

PROGRAMAÇÃO


Dia 23.03
10h00 Abertura do espaço Mulher Empreendedora
11 às 16h Ações de mentoria, oficinas e rodas de conversas
16h00 Abertura oficial do evento
17h30 Talk Show – Equilíbrio pessoal e profissional
19h00 Show musical


Dia 24.03
10h00 Abertura do Espaço Mulher Empreendedora.
11 às 13h Talk Show – Saúde e bem estar
14 às 16h Oficina de Comunicação e Marketing
16 às 18h Talk Show – Negócios e finanças
18h00 Encerramento do Evento

 
 

ASPENE-SE promove homenagem às mulheres com talk show

 

 

Com objetivo de comemorar o Dia Internacional da Mulher, a ASPENE-SE promoveu um evento no auditório da associação com palestra proferida pela professora do curso de enfermagem da UFS - Universidade Federal de Sergipe e doutora pela USP - Universidade de São Paulo, Joseilze Santos de Andrade, que abordou a história da data que institui à celebração.
O evento contou com associadas, dependentes e convidadas. A palestrante proporcionou através do Talk Show, uma palestra interativa que deu oportunidade para as associadas fazerem perguntas e refletir sobre a condição feminina nos dias atuais.
Dentre tantas informações, a professora lembrou que o Dia Internacional da Mulher teve inicio no ano de 1857, quando operárias têxteis de uma fábrica de Nova York entraram em greve ocupando a fábrica, para reivindicarem melhores condições de trabalho. Estas operárias foram fechadas na fábrica onde foi provocado um incêndio e cerca de 130 mulheres morreram queimadas.
O evento foi encerrado com a participação da cantora Myrele e em seguida foi ofertado um coffee break às aspeneanas.

 
 
 
 

Exposição das mulheres criativas de Estância

no Memorial Cultural

 

A talento criativo feminino é reconhecido pelo público que visita o projeto Vida Maria da Associação Produtiva Mulheres Criativas, em Estância. São trabalhos bem elaborados cuja associação tem orgulho e as define como autênticas obras de arte.


A Associação foi idealizada com a união das artesãs fundadoras, entre elas, Aline Santos, Clarisse Vieira, Edivânia da Silva Benjamim, Elizabete Nascimento Assunção, Iraciva dos Santos Nascimento, Jane Costa Fontes, Jaqueline de Oliveira Santana, Maria Aparecida Gomes Oliveira, Maria da Glória e Sílvia Michele Santos Mesquita.

 

O objetivo da associação é criar, divulgar e valorizar o artesanato, com interação da produção coletiva e difundir cada peça criada pelas artesãs, a exemplo de bonecas, esculturas, bordados e crochês, dentre outros.

As peças estão expostas no Memorial Cultural, aberto de segunda às sextas-feiras e conta com apoio da Prefeitura de Estância. A exposição mostra toda a capacidade criadora dessas mulheres.

Por Cláudia Meireles

 

Leia www.agenciasergipe.net.br/exclusiva


 

Produção: Agência Sergipe - www.agenciasergipe.net.br
 
 

OAB/SE promove e participa de ações no mês da mulher
 

A Ordem dos Advogados do Brasil, em Sergipe, através da Comissão de Defesa dos Direitos da

Mulher tem promovido e participado de ações alusivas ao mês da mulher. Confira algumas:
 

Saúde da mulher


No dia, 13, representantes da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da OAB/SE participaram de um debate realizado pelo Sindicato dos Médicos do Estado de Sergipe e pelo Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CMDM) em celebração ao dia 8 de março.

A discussão colocou em debate a saúde da mulher e contou com a participação da vice-presidente da Comissão, Valdilene Martins, e das representantes do Coletivo Sala de Reboco, do Coletivo de Mulheres de Aracaju, do Instituto Brasileiro de Direito de Família e do CMDM.


Na ocasião, foram abordadas a violência sexual, a violência obstétrica e a notificação da violência. Para a vice-presidente da Comissão, foi uma discussão necessária e salutar.
Ciclo de debates
No dia 14, em Nossa Senhora da Glória, a Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher deram início ao Ciclo de Debates “Mulher: é tempo de luta!”, promovido pela OAB/SE, em parceria com a Escola Superior de Advocacia e a Caixa de Assistência dos Advogados.

 

Presente ao evento, a militante, coordenadora do Fórum de Pesquisa de Gênero e integrante da Comissão, Bruna Menezes, destacou a participação política das mulheres no município.


“Mulheres, agentes políticas e advocacia de Glória sempre ativistas e combativas nas lutas contra os retrocessos. Esse é um dos poucos municípios do Brasil cuja maioria é de mulheres na Câmara Legislativa e no comércio e serviços na cidade. Glória me representa”, afirmou.


O Ciclo de Palestras também foi realizado em Propriá na última quinta-feira, 15. Com o intuito de discutir os retrocessos e a conquista da paridade na política, o evento acontece até o dia 23 nos municípios de Estância, Itabaiana e Lagarto. Em Aracaju, acontecerá nesta quinta-feira, 21.


Violência doméstica e Lei Maria da Penha


A vice-presidente da Comissão, Valdilene Martins, participou ainda de um debate realizado na última quinta-feira, 15, no Centro de Referência de Assistência Social José Correia Santos, em Amparo do São Francisco (SE). A discussão reuniu os usuários do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos e abordou a violência doméstica e a Lei Maria da Penha.


Assédio e feminicídio


No dia 16 de março, em Estância, a Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da OAB/SE também esteve presente na discussão organizada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Estância sobre assédio e feminicídio. O evento contou com a participação de representantes do IBDFAM/SE e do Escritório de Advocacia Operária.


Mulher empreendedora
 

Nesta segunda-feira, 19, a vice-presidente da Comissão, Valdilene Martins, participou de uma solenidade em alusão ao Dia Internacional da Mulher e ao Dia do Artesão, comemorado no dia 19 de março. Promovida pela Fundação Municipal de Formação para o Trabalho, a solenidade teve o fim de enaltecer a figura feminina e o destaque alçando por ela no empreendedorismo.


Na ocasião, Valdilene ministrou palestra sob o tema “Mulher Empreendedora”. Além disso, instrutoras e alunas dos cursos de artesanato da Fundação foram homenageadas pelo ofício de artesã desenvolvido e pelo papel que ocupam no campo profissional.

 

Produção: Agência Sergipe - www.agenciasergipe.net.br

 
 
 

O preconceito e discriminação racial viola direitos da mulher negra


Polícia Civil fará ato hoje em Aracaju contra a discriminação racial

 

Esta é uma importante data que reforça a luta contra o preconceito racial em todo o mundo. Em Aracaju, a Polícia Civil realizará uma panfletagem educativa em comemoração a data. A Ação será realizada na manhã desta quarta-feira, 21, às 08h, em frente à Delegacia de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), cujo objetivo é visa a promoção de uma cultura de conscientização contra a discriminação racial, por meio do diálogo e do entendimento.

Na oportunidade, estarão presentes equipes do DAGV, entre eles, a delegada Meire Mansuet, da Delegacia de Atendimento a Crimes Homofóbicos, Racismo e Intolerância Religiosa (DACHRI); como também a professora yalorixá Sônia Oliveira, coordenadora da comunidade Oju Ifá.


“Discriminação Racial significa qualquer distinção, exclusão, restrição ou preferência baseada na raça, cor, ascendência, origem étnica ou nacional com a finalidade ou o efeito de impedir ou dificultar o reconhecimento e exercício, em bases de igualdade, aos direitos humanos e liberdades fundamentais nos campos político, econômico, social, cultural ou qualquer outra área da vida pública” (Artigo I da Declaração das Nações Unidas sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial).
Mais informações: Assessoria de Comunicação da SSP, por meio dos telefones: (79) 98819-4625 / 98819-2366 / 3216-5457

 

Produção: Agência Sergipe - www.agenciasergipe.net.br

 
 
 

No mês da mulher em diferentes países, um mesmo grito

contra a desigualdade

Organizações feministas convocam mobilizações em mais de 170 Estados pelos direitos da mulher

 


Motivos para a mobilização não faltam. No ritmo atual, levará cem anos para acabar com a disparidade entre homens e mulheres, de acordo com dados do Fórum Econômico Mundial. Um século para alcançar a igualdade de gênero no trabalho, na política, no acesso à educação, na distribuição das tarefas domésticas. Dados que, junto com a pandemia de violência contra as mulheres, estimulam um movimento mundial contra a discriminação e o machismo que nesta quinta-feira, 8 de março, às ruas. É o ano da ressaca do #Metoo, que mostrou a muitos o flagelo do machismo, mas que também revigorou os movimentos das mulheres.


Mais de 170 países convocaram mobilizações no Dia Internacional da Mulher. Alguns, como Croácia e Turquia, planejam manifestações de massa. Na Espanha, as organizações de mulheres e alguns sindicatos convocaram legalmente uma inédita greve geral de 24 horas, que o movimento feminista pede que apenas as mulheres cruzem os braços para que sua ausência seja visível. Em outros países, como a Argentina, haverá paralisações totais ou parciais em alguns setores. Até as organizações iranianas convocaram uma manifestação, apesar das proibições.


Na Polônia, onde há algum tempo paira a ameaça de que o Governo reforme a lei do aborto para torná-la ainda mais restritiva, foi convocada uma greve simbólica às seis da tarde. Nessa hora, todas as polonesas estão chamadas a sair às ruas. Também em Budapeste haverá marchas. Embora as organizações feministas não sejam tão majoritárias como em outros países, suas reivindicações são comuns a outros países europeus, com um exemplo talvez mais extremo: o Parlamento húngaro só tem 10% dos assentos ocupados por mulheres (dados do Banco Mundial), uma das porcentagens mais baixas do mundo, algo que pode mudar no próximo mês, quando as eleições forem realizadas.


A cada 10 minutos uma mulher é assassinada pelo parceiro ou ex-parceiro no mundo. Uma realidade aterradora que na América Latina, com uma taxa altíssima de feminicídios, é ainda mais grave. O movimento feminista está ganhando cada vez mais força na região; greves e manifestações foram convocadas — mais ou menos maciças — em quase todos os países.


No México, onde mais de sete mulheres são assassinadas diariamente e 23.800 perderam a vida na última década, a violência machista também dificulta o avanço do país. Por essa razão, mas também para exigir mais representação na política, o fim do assédio sexual e medidas contra as diferenças salariais, manifestações acontecerão em várias cidades.


Na Argentina, em pleno debate também sobre a reforma da lei do aborto, as organizações feministas chamaram uma paralisação do trabalho, dos cuidados e do consumo. E embora as centrais sindicais a tenham apoiado, não a convocaram oficialmente, deixando a decisão a cargo de cada sindicato. Assim, a radiografia é diversificada: o maior sindicato de funcionários públicos do país convocou uma greve de 24 horas; o de juristas chamou para paralisações parciais. No entanto, a expectativa em torno da manifestação da tarde é que atraia multidões. O slogan “nem uma a menos” voltará a ser entoado e se gritará contra os assassinatos de mulheres: foram 295 no ano passado, de acordo com a contagem feita por ONGs.


Em El Salvador, onde o aborto é proibido em todas as circunstâncias — inclusive para salvar a vida da mulher ou em caso de estupro — as mulheres sairão às ruas para exigir a descriminalização. Também o fim da violência. Estima-se que aconteçam dez agressões sexuais por dia no país.


Uma mulher é assassinada a cada duas horas no Brasil, de acordo com as estatísticas. A desigualdade está muito enraizada no país, pois apesar de as mulheres terem um nível educacional mais alto, elas ganham, em média, 76,5% do salário masculino, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para erradicar essa disparidade, as organizações chamaram manifestações em mais de 50 cidades e, embora o lema da mobilização seja “Greve em 8 de março”, não são esperadas paralisações importantes, pelo menos nos serviços públicos e nos principais setores produtivos. Gritarão pela igualdade no trabalho, mas acima de tudo “pela vida das mulheres”, em homenagem às de milhares de mulheres que morrem a cada ano em consequência de abortos clandestinos — a defesa da despenalização total do aborto é uma das bandeiras — e do feminicídio, informa Marina Rossi.


No entanto, não é em todos os países que o 8 de março é uma jornada de reivindicação; embora algumas marchas específicas tenham sido previstas. Na Rússia, onde uma mulher é assassinada a cada 40 minutos e a violência machista é um grande problema, o 8 de março — dia em que tradicionalmente não se trabalha — tornou-se uma festa bastante comercial. Um padrão que se repete em outros países ex-comunistas, como a Eslováquia.

Produção: Agência Sergipe - www.agenciasergipe.net.br

 
 
 

Brasil caminha a passos de tartaruga para acabar com a

disparidade salarial entre homens e mulheres
 

As mulheres brasileiras recebem salários 23 por cento menores do que os homens, apesar de possuírem maior nível educacional. Em outras palavras, uma mulher teria que trabalhar durante todo o ano passado e mais quase quatro meses deste ano para alcançar o rendimento que homens tiveram em 2017.


No mercado formal, monitorado pelo Ministério do Trabalho, a diferença salarial entre homens e mulheres caiu de 17% em 2007 para 15% em 2016. Neste ritmo, as mulheres brasileiras com emprego formal receberão os mesmos salários que seus colegas homens somente em 2083 – ou seja, meninas que nascem no dia de hoje terão equidade salarial apenas quando completarem 65 anos.


O Fórum Econômico Mundial classificou o Brasil na 119ª posição em um rankingde países sobre a equidade salarial para trabalho similar, com base em uma pesquisa anual com executivos. A diferença é notada sobretudo entre os trabalhadores com níveis mais elevados de educação. Os dados mais recentes do Ministério do Trabalho mostram que 60 por cento dos trabalhadores com ensino superior são mulheres, mas estas receberam 36 por cento menos do que os homens com o mesmo nível educacional.


Esses resultados condizem com estudos em outros países que mostram que mesmo considerando fatores como experiência, educação, área de negócio e horas trabalhadas, mulheres e homens são remunerados de forma diferente. Uma análise aprofundada de economistas sobre a disparidade salarial entre homens e mulheres descobriu que a discriminação faz parte desta equação.


As mulheres não apenas ganham menos do que os homens, mas têm dificuldades em se inserir no mercado de trabalho. No Brasil, 78% dos homens e apenas 56% das mulheres possuem emprego remunerado, segundo estimativas da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Porém, nem sempre ficar em casa é uma escolha da mulher. Outra pesquisa da OIT demonstra que a grande maioria das brasileiras gostaria de ter trabalho remunerado. Eliminar a diferença na taxa de participação laboral entre mulheres e homens acrescentaria 382 bilhões de reais à economia do país, ou 3,3% do PIB, diz a OIT.


A política também continua praticamente um clube restrito aos homens no Brasil. Apenas 11% dos membros do Congresso são mulheres, a terceira menor porcentagem na América Latina, atrás apenas do Haiti e Belize, segundo a ONU. O Poder Executivo tem números ainda piores sob a atual administração. O Brasil tem uma única mulher com cargo de ministra, a Advogada-Geral da União, Grace Mendonça.


A lei brasileira encoraja a participação das mulheres na política ao exigir candidatas mulheres nos partidos políticos. Além disso, proíbe discriminação de gênero na remuneração, formação profissional e oportunidades de ascensão profissional. Mas a realidade que as mulheres enfrentam é outra.


Junto com membros do G-20, o governo brasileiro comprometeu-se a reduzir a desigualdade de gênero na força de trabalho em 25% até 2025 e, como parte dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, atingir a igualdade de salários entre homens e mulheres que ocupam posições de trabalho iguais até 2030.
Para chegar lá, o governo do Brasil deve criar mecanismos para transparência sobre informações salariais, garantir que os empregadores cumpram a lei que proíbe a discriminação de gênero no local de trabalho e fortalecer os canais legais para que as mulheres reivindiquem seus direitos trabalhistas. Essa seria a melhor forma de comemorar o Mês Internacional da Mulher.

 

Produção: Agência Sergipe - www.agenciasergipe.net.br

 
 
 

Professora Terezinha Oliva é agora representante presidencial

 

A professora aposentada do Departamento de História da Universidade Federal de Sergipe Terezinha Alves de Oliva é agora a representante da Presidência da República no Conselho Diretor da instituição.


Com a função de exercer a administração da fundação e superintender as atividades financeiras da UFS, o Conselho Diretor é ferramenta fundamental na construção da universidade e, segundo a mais nova integrante, uma possibilidade real de vivenciar ainda mais a UFS e contribuir em outras perspectivas para o crescimento da instituição.

“Para mim, foi uma grande honra receber o convite para integrar o Conselho Diretor da UFS, pois passei a maior parte da minha vida em função da educação, do saber, da academia e também da conservação do patrimônio histórico.
 

Retribuir à instituição todo o aprendizado construído através dela é de uma felicidade sem tamanho. Quero continuar vivendo isso, pois são exatamente essas funções que me deixam completamente realizada”, explica Terezinha Oliva.
Na ocasião, foi feita uma retrospectiva das contribuições da professora em sala de aula e como agente cultural, sendo referência como uma das carreiras mais brilhantes em todo o estado, reconhecida, inclusive, nacionalmente.
Nascida em Riachão do Dantas, Terezinha se formou no curso de História da UFS em 1971. Três anos depois, dava início à sua vida docente como professora na mesma instituição. Logo em seguida, ingressou no mestrado em História da UFPE, cuja dissertação resultou no livro Impasses do Federalismo Brasileiro: Sergipe e a revolta de Fausto Cardoso (Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985) com recente reedição pelo IHGSE/UFS.


Completando sua formação acadêmica, cursou o doutorado em Geociências, na Universidade Estadual Paulista (Rio Claro), em convênio com o Mestrado de Geografia da UFS, estudando o Pensamento Geográfico em Manoel Bomfim. Passam ainda pelo seu currículo a Academia Sergipana de Letras, o Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, o Museu do Homem Sergipano e o Instituto do patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), cuja coordenação viabilizou o reconhecimento da Praça São Francisco, no município de São Cristóvão, como patrimônio da humanidade.


A representação presidencial da professora Terezinha Oliva no Conselho Diretor é referente ao biênio 2017/2019.
ASCOM-UFS- Jéssica Vieira


(Fotos: Schirlene Reis)

 

Produção: Agência Sergipe - www.agenciasergipe.net.br

 
 
 

Marielle Franco: três lições da vereadora que as mulheres

não podem esquecer


Marielle havia sido nomeada como relatora da comissão da Câmara que vai

acompanhar a intervenção federal no RJ
 

Mulher, negra, mãe, e como se apresentava, “cria da Maré”, a quinta vereadora mais votada no Rio de Janeiro assassinada
A vereadora Marielle Franco (Psol) foi morta a tiros na noite desta quarta-feira (14) no Rio de Janeiro . Ela tinha 38 anos e foi a quinta vereadora mais votada nas eleições de 2016. E não foi apenas a brutalidade do crime que chocou pessoas em todo o Brasil, mas também a perda de uma mulher que inspirava tantas outras como ela.
Socióloga pela PUC-Rio (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro) e mestra em Administração Pública pela UFF (Universidade Federal Fluminense), Marielle Franco era também mulher, negra, mãe, bissexual e, como se apresentava, “cria da Maré”, favela da Zona Norte do Rio de Janeiro. Ainda assim, ocupou espaços normalmente preenchidos apenas por homens brancos.


 Sendo assim, listamos algumas lições da vereadora que nenhuma mulher pode esquecer com sua morte.

Socióloga e mestra


Foi com uma bolsa integral, após ser aluna do Pré-Vestibular Comunitário da Maré, que a vereadora conseguiu se formar socióloga pela PUC, uma das universidades mais reconhecidas do país. A situação da educação pública no Brasil ainda é precária, mas Marielle conseguiu superar este problema com a ajuda de outras pessoas que, assim como ela fazia após se formar, se importavam com as crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.
E ela foi além. Mesmo se tornando mãe ainda jovem, com apenas 19 anos, ela não largou os estudos e conquistou o título de mestra em Administração Pública pela UFF. As mulheres que têm filhos ainda têm menos oportunidades no mercado de trabalho, mas isso não barrou as conquistas de Marielle.


Marielle fazia parte de um grupo de 51 vereadores do Rio de Janeiro, sendo que apenas sete eram mulheres. Ao chegar na Câmara, ela mostrou que as mulheres podem, sim, ocupar esses espaços e fazer diferença, mesmo que apenas expondo a realidade por trás da vida de uma brasileira. Homens podem fazer uma ideia do que é ser mulher e criar projetos que nos beneficiem, mas só uma mulher sabe realmente o que é ser mulher e o que precisamos.


Lugar de mulher


Ativista pelos direitos humanos, principalmente em defesa dos direitos das mulheres negras e moradores de favelas e periferias, Marielle também nos ensinou sobre compaixão. A vereadora ouvia aqueles que precisavam de ajuda e não tinha medo de denunciar os casos de violência que presenciava. Dias antes de ser morta, vinha questionando na internet a violência policial.


“Mais um homicídio de um jovem que pode estar entrando para a conta da PM. Matheus Melo estava saindo da igreja. Quantos mais vão precisar morrer para que essa guerra acabe?”, escreveu na terça-feira (13) em seu Twitter.


Quando foi assassinada, voltava para casa de uma roda de conversa intitulada “Mulheres Negras Movendo Estruturas”. No encontro, ela lembrou de uma das frases da escritora Audre Lorde: "Não sou livre enquanto outra mulher for prisioneira, mesmo que as correntes dela sejam diferentes das minhas.”


“Vamos que vamos, vamos junto ocupar tudo”, completou Marielle Franco, com um sorriso no rosto e aplaudida pelas mulheres presentes, ao final da roda de conversa.

Fonte: Delas - iG @ http://delas.ig.com.br/comportamento/2018-03-15/marielle-franco-conquistas.html

 

Produção: Agência Sergipe - www.agenciasergipe.net.br

 
 
 

Vereadora Marielle Franco (PSOL) é assassinada a tiros

 no centro do Rio

 

O crime teve repercussão na imprensa internacional
 

A vereadora pelo Rio de Janeiro Marielle Franco, do PSOL, foi morta a tiros no bairro do Estácio, região central da capital carioca, na noite desta quarta-feira (14). Ela estava dentro de um carro acompanhada de um motorista, que também foi morto, e de uma assessora, quando teria sido abordada por outro veículo.
Uma ambulância do quartel central do Corpo de Bombeiros foi acionada para o local e constatou a morte da parlamentar e do motorista. A vereadora estava indo para casa no bairro da Tijuca, zona norte do Rio, voltando de um evento ligado ao movimento negro, na Lapa.


Vereadora Marielle Franco foi a quinta mais votada das últimas eleições e tinha base na favela da Maré.Ascom/Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro.


A Delegacia de Homicídios está no local fazendo a perícia no carro da vítima, atingido por vários tiros. Segundo informações preliminares da Polícia Militar do RJ, que atendeu a ocorrência, a parlamentar e o motorista, que não teve a identidade informada, foram baleados e morreram no local. A assessora Fernanda Chaves sobreviveu ao ataque e não teria sofrido nenhum tiro, segundo o Corpo de Bombeiros.


Marielle voltava de um evento chamado “Jovens negras movendo as estruturas”, na Lapa, quando, de acordo com testemunhas, teve o carro emparelhado por outro veículo, de onde partiram os tiros.

Em nota, a Executiva Nacional do PSOL manifestou pesar pelo assassinato da vereadora e destacou sua atuação política. “A atuação de Marielle como vereadora e ativista dos direitos humanos orgulha toda a militância do PSOL e será honrada na continuidade de sua luta”, diz um trecho. O partido também exigiu apuração “imediata e rigorosa” sobre as circunstâncias do crime.


Há duas semanas, Marielle havia assumido relatoria da Comissão da Câmara de Vereadores do Rio criada para acompanhar a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro. Ela vinha se posicionando publicamente contra a medida.


A parlamentar também chegou a denunciar, em suas redes sociais, no fim de semana, uma ação de policiais militares na favela do Acari. “O 41º Batalhão da Polícia Militar do Rio de Janeiro está aterrorizando e violentando moradores de Acari. (…) Acontece desde sempre e com a intervenção ficou ainda pior”, escreveu.


A PMERJ confirmou a operação e argumentou que criminosos atiraram contra os policiais e houve confronto. Durante vasculhamento na comunidade, dois homens foram presos e houve apreensão de um fuzil calibre 7,62 mm e oito rádios comunicadores, segundo nota da corporação.


Trajetória


Eleita com 46,5 mil votos, a quinta maior votação para vereadora nas eleições de 2016, Marielle Franco estava no primeiro mandato como parlamentar. Oriunda da favela da Maré, zona norte do Rio, Marielle tinha 38 anos, era socióloga, com mestrado em Administração Pública e militava no tema de direitos humanos.


Prefeito


O prefeito Marcelo Crivella se manifestou sobre a morte da vereadora Marielle Franco. "É com profundo pesar que lamentamos o brutal assassinato da vereadora Marielle Franco, cuja honradez, bravura e espírito público representavam, com grandeza inigualável, as virtudes da mulher carioca. Sua trajetória exemplar de superação continuará a brilhar como uma estrela de esperança para todos que, inconformados, lutam por um Rio culto, poderoso, rico, mas, sobretudo, justo e humano. Em cada lar uma prece, em cada olhar uma lágrima e em cada coração um voto de tristeza, dor e saudade. É assim que hoje anoitece a cidade desolada e amargurada pela perda de sua filha inesquecível e inigualável. Que Deus a tenha!

 

” Pedro Rafael Vilela (DF) e Douglas Correa (RJ) - Repórteres da Agência Brasil

 

Produção: Agência Sergipe - www.agenciasergipe.net.br

 
 
 
Sergipe
 
 

Os desafios da mulher empreendedora

 

Pesquisas mostram que, além de outros pontos, elas enfrentam dificuldade de conseguir créditos expressivos e sentem medo do fracasso.


Investimento desigual

 

Uma pesquisa realizada pelo instituto norte-americano GEDI mostrou que o número de mulheres empreendedoras que desejam crescer 50% e empregar, no mínimo, 10 funcionários nos próximos cinco anos cresceu 7% (link em inglês) em uma escala global. Mas, para que esse sonho vire realidade, elas enfrentam barreiras sociais e econômicas, fazendo com que o caminho para o sucesso seja ainda mais desafiador.


Entenda melhor o atual cenário do empreendedorismo feminino e alguns dos entraves que ainda existem para as mulheres crescerem nos negócios.

Nos últimos anos, o número de mulheres que começaram a empreender cresceu muito, tanto no Brasil como em outros países. Atualmente, cerca de 30% (link em inglês) de todos os negócios privados do mundo são operados ou têm como idealizador uma mulher. Esse dado seria promissor, se não fosse por um fato: apenas uma pequena parcela dessas organizações consegue ser considerada de alto impacto.


Nos Estados Unidos, por exemplo, apenas 2% (link em inglês) das empresas lideradas por mulheres geram mais de US$1 milhão em receitas anuais. E um estudo com empresas norte-americanas conseguiu identificar uma das causas: investimento desigual por parte de instituições financeiras.


Menos de 10% das empresas (link em inglês) lideradas por mulheres recebe investimento externo. Estimativas demonstraram que, se essas mesmas organizações recebessem uma ajuda financeira igual às dos negócios dirigidos por homens, seis milhões de empregos seriam gerados em apenas cinco anos.


Desestímulo

Além das dificuldades de conseguirem investimentos mais expressivos, as mulheres também encontram outros obstáculos pelo caminho da ascensão dentro do mundo empresarial. Por mais que 70% dos líderes de negócios concordem que a diversidade de gênero melhora a performance da organização, o número de mulheres em cargos altos dentro de empresas cresceu apenas 5% (link em inglês) nos últimos quatro anos.
Mesmo com 80% dos empreendedores (link em inglês) reconhecendo que muito ainda deve ser feito para que as mulheres sintam-se atraídas por cargos de liderança, apenas 13% acreditam (link em inglês) que essas mudanças vão realmente sair do papel. Esse desencorajamento no ambiente de trabalho é refletido em dados: 43% das mulheres veem o medo do fracasso como o principal empecilho para não abrir a própria empresa. Com os homens, a mesma taxa cai para 34%.


Esse cenário também é responsável pela queda na porcentagem de mulheres que desejam crescer dentro dos empreendimentos. Estudos revelam que, nos primeiros anos depois de entrarem em uma empresa, cerca de 60% das mulheres apresenta uma vontade de subir de cargo, mas esse número cai pela metade à medida que os anos vão se passando e elas não têm suas habilidades reconhecidas.


Depois de aproximadamente cinco anos, as mesmas mulheres que desejavam ascender de cargo já se conformaram com a atual posição por acreditarem que não são capazes ou não têm as habilidades necessárias para conquistar promoções.


Educação desigual


A educação é outro fator que, direta ou indiretamente, afeta as mulheres na hora de empreender. Para começar, em diversas partes do mundo, aproximadamente 60 milhões de mulheres são privadas do direito ao estudo, e é no ambiente escolar que desenvolvemos habilidades pessoais, muitas das quais são de extrema utilidade para empreender.


Em uma pesquisa realizada na Austrália, 57% dos homens entrevistados declararam acreditar que tinham as habilidades e o conhecimento necessários para abrir um negócio, em comparação com 30% das mulheres.
A falta do ambiente escolar também se reflete no quesito de networking, uma vez que as mulheres têm uma probabilidade menor de conhecer pessoas que tenham aberto algum negócio. Essa realidade é comprovada por dados: 42% dos homens são mais propícios a conhecer alguém que tenha começado a empreender nos últimos dois anos, enquanto essa taxa baixa para 27% quando falamos sobre mulheres.


Sexismo

O sexismo (link em inglês), ou seja, a discriminação baseada nos estereótipos de gênero, é um fator que permeia a caminhada da mulher desde a contratação por uma empresa até a hora em que ela deseja abrir o próprio negócio.


Um estudo realizado nos Estados Unidos demonstrou que as mulheres eram mais contratadas pelas empresas que não pediam fotos nos currículos ou não sabiam o sexo da pessoa que estavam analisando.


Além disso, as mulheres ainda sofrem julgamentos desiguais (link em inglês) em relação aos homens, que são considerados mais competentes em assuntos relacionados a negócios. Essa discriminação torna mais difícil para as mulheres encontrar um ambiente propício para o desenvolvimento dessas habilidades.


Esse cenário é ainda pior em setores como tecnologia e informática, nos quais a presença feminina é extremamente baixa. Uma pesquisa realizada em 2015 revelou que a participação de mulheres nesse setor caiu 19% (link em inglês), mesmo com os avanços tecnológicos dos últimos anos.


O ambiente que temos hoje pode não ser o mais propício para as mulheres que desejam empreender, mas uma notícia é boa: as mudanças necessárias para esse cenário podem começar com todos nós, dentro e fora das empresas.


Fonte-Sebrae - Feito em parceria com a Endeavor Brasil

 

Produção: Agência Sergipe - www.agenciasergipe.net.br

 
 
 

Por que o empoderamento feminino favorece

uma sociedade inteira?
 

O empoderamento feminino é um termo que vem ganhando visibilidade nos últimos anos. Se antes as mulheres não tinham espaço para demonstrar seu total valor, hoje elas já provaram que podem atuar em áreas que eram dominadas pelos homens. Tudo isso é resultado do empoderamento, ou seja, de dar mais poder para essa fatia da população.
Mesmo com o assunto em alta, no entanto, não é difícil encontrar ainda ambientes tradicionais e conservadores, onde existem barreiras com relação à liberdade de escolha das mulheres.
Em 1970 apenas 18% das mulheres brasileiras exerciam alguma atividade remunerada. Quarenta anos depois, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, cerca de 53% das mulheres trabalhavam com carteira assinada.


Apesar do avanço, em 2010 esse número ainda era 20% menor em relação aos homens. Ou seja, alguma coisa aconteceu, mas muitas outras ainda precisam mudar para que a sociedade se torne igual para homens e mulheres.
A palavra “empoderamento” vem do inglês “empowerment“, que pode ser traduzido como “fortalecimento”. Basicamente, empoderar uma mulher significa torná-la mais forte, dar condições para que ela se sinta segura e autoconfiante — e, assim, cresça pessoal e profissionalmente.

No post de hoje, mostraremos que ajudar no empoderamento feminino pode auxiliar na evolução da sociedade como um todo. Quer saber mais? Vamos lá!

O empoderamento feminino é uma causa histórica

A história é mais antiga do que você pode imaginar. Diferentemente do que muitos pensam, não é uma causa de uma pessoa ou organização. Empoderar uma mulher engloba tudo o que qualquer pessoa pode fazer para fortalecer as mulheres e desenvolver a igualdade de gênero nos âmbitos onde elas são minoria.
O caminho do empoderamento feminino começa em 1911, com a criação do Dia Internacional da Mulher, em decorrência de um incêndio que matou mais de cem operárias em Nova York. Em 1932, as mulheres conquistaram direito de voto opcional no Brasil e, em 1946, ele se tornou obrigatório, tal como o dos homens.
Desde então, elas têm enfrentado um caminho árduo, que culminou com a publicação dos princípios de empoderamento das mulheres, pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 2010.


Traz uma nova perspectiva para o mercado


Um dos principais argumentos dos mais conservadores, que ainda defendem a discriminação das mulheres, é que elas são biologicamente diferentes dos homens e não possuem as mesmas habilidades que eles.

Se, por um lado, as diferenças biológicas são inegáveis, por outro, os reflexos disso em termos de habilidades e competências é altamente questionável. Mulheres — que, acima de tudo, são indivíduos, cada uma com sua história e bagagem pessoal — possuem habilidades e conhecimentos diferentes dos homens, e isso é extremamente benéfico para qualquer empresa ou instituição.


Quanto mais visões diferentes, mais chances de olhar por todos os ângulos. As empresas que buscam pela diversidade de habilidades e perfis conseguem atuar em mais frentes, de forma mais completa e eficiente.

Até poucos anos atrás, as habilidades consideradas femininas não eram exploradas da maneira correta, em um mercado de trabalho que demorou para perceber que a presença das mulheres ajuda não só a enxergar os negócios de forma diferente, mas também a movimentar a economia de uma maneira muito mais igualitária.


Tem todo o apoio da ONU


Desde 2010, existe um documento chamado “Os Princípios de Empoderamento das Mulheres”, lançado pela ONU, para mostrar às empresas e comunidades como dar poder para as mulheres. São sete princípios, veja abaixo:


1. Liderança corporativa
Estabelecer liderança corporativa, no mais alto nível, com sensibilidade à igualdade de gênero — ou seja, permitir que as mulheres alcancem cargos de liderança, em competições igualitárias com os homens.
2. Equidade no ambiente de trabalho
Tratar todas as pessoas, independente do gênero, de maneira justa no ambiente de trabalho, com respeito e apoio aos direitos humanos e à não discriminação.
3. Saúde, bem-estar e segurança
Garantir saúde, bem-estar e segurança para todas as mulheres e todos os homens que fazem parte de uma organização profissional.
4. Capacitação
Promover a educação, o desenvolvimento profissional e a capacitação a todas as mulheres.
5. Empreendedorismo feminino
Apoiar o empreendedorismo feminino e promover políticas que deem poder às mulheres por meio de cadeias de suprimento e marketing — a empresa não pode afirmar que promove a igualdade, enquanto suas campanhas para o público externo não permitem o empoderamento.
6. Igualdade de gênero
Promover a igualdade de gênero, por meio de ações direcionadas à comunidade e ao ativismo social — apoiar para que o empoderamento feminino ultrapasse as paredes da empresa.
7. Monitoramento dos resultados
Medir e documentar os progressos de qualquer empresa na promoção da igualdade de gênero — assim, casos de sucesso poderão servir de exemplo e inspiração para outras instituições.
É positivo para o avanço da ciência e tecnologia
As mulheres são maioria nos cursos de pós-graduação do Brasil. Atualmente, já há prêmios importantes dedicados exclusivamente a elas. No entanto, essas profissionais qualificadas ainda não têm posições iguais nas cátedras em universidades ou em cargos de liderança em grandes centros de pesquisa e tecnologia. Mas deveriam.
Assim como as empresas, a ciência também precisa de visões diferentes. São inúmeras as contribuições trazidas por mulheres, que, por anos, foram deixadas de lado e subestimadas em relação às descobertas masculinas.
Mesmo assim, a participação feminina na ciência só cresceu. Elas se tornaram grandes nomes em diversas áreas do conhecimento, e apesar de ainda não terem chegado à igualdade, já deram muitos passos.
É um ponto de partida na luta pela igualdade entre todos
Se analisarmos a história com calma, veremos que grandes transformações na sociedade vêm acontecendo desde a primeira manifestação em prol da igualdade de gêneros. Empoderar uma mulher torna a sociedade mais justa, menos preconceituosa, com a promoção da aceitação e da tolerância a toda e qualquer diferença.

Empoderar o gênero feminino significa superar falsas diferenças enraizadas na sociedade, e que por muito tempo não foram questionadas. Essa abertura dá margem para que outros questionamentos surjam, e para que a sociedade se torne cada vez mais igualitária como um todo.

O caminho a ser trilhado ainda é longo, antes que possamos afirmar que a igualdade entre homens e mulheres de fato existe. Cada um dos pontos citados acima, no entanto, é muito importante para que as mulheres tenham cada vez mais protagonismo social e poder sobre suas próprias vidas.

Os benefícios são claros, e são para todos — cada direito, cargo ou prêmio conquistado por uma mulher é um avanço para toda a sociedade, e um incentivo a mais para que outras mulheres também consigam crescer.

• Cristina Gomes é a idealizadora do projeto Mulher Líder. Um projeto feito sob medida para você, mulher que ocupa um cargo de liderança. Os desafios da “Mulher Líder” são árduos e pedem uma postura assertiva. É chegada a hora de conversar sobre estes desafios.
 

Produção: Agência Sergipe - www.agenciasergipe.net.br

 
 

Procuradoria Especial da Mulher é instalada na Alese

 

Dentro das comemorações do 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, a Assembleia Legislativa de Sergipe, através do seu presidente e deputado Luciano Bispo (MDB), instalou no dia 08 de março, no plenário da Casa, a Procuradoria Especial da Mulher, designando a deputada Goretti Reis (MDB) para a função e a deputada Ana Lúcia (PT) para o posto de procuradora adjunta.

Ao fazer o anúncio, Luciano Bispo disse que a Procuradoria tem a finalidade de promover mais efetiva participação e a defesa dos direitos das mulheres. “Órgãos idênticos já existem e funcionam em outros Poderes Legislativos, inclusive no âmbito do Senado Federal, da Câmara dos Deputados e de outras Assembleias ”Em seguida, o presidente disse que Procuradoria Especial desenvolverá discussões que visem à promoção da igualdade de gênero, e participará do planejamento e fiscalização de ações de prevenção e combate à violência contra a mulher, articulando-se com órgãos congêneres e com os órgãos de segurança, quando necessário.

 

“Temos tido conhecimento da escalada da violência contra a Mulher no País. Nossa sociedade não admite esse tipo de situação e a classe política também não admite. Todos nós temos o dever de repudiar firmemente qualquer tipo de violência, inclusive aquela praticada contra a Mulher justamente por sua condição de Mulher”, disse Luciano Bispo, desejando sorte na implantação e na condução.


A deputada Goretti Reis agradeceu a confiança do presidente pela indicação e disse que pretende empreender o melhor na Procuradoria e conta com o apoio dos demais colegas de parlamento. “A proposta é de fazer a interlocução com os órgãos e demais poderes para que a gente, efetivamente, consiga melhorar as políticas públicas de atendimento à mulher. Isso é muito importante para a gente poder fiscalizar, acompanhar e até modificar alguma legislação para que a gente possa avançar”.


“Fico muito feliz e conto com a parceria da deputada estadual Ana Lúcia. Não tenho dúvidas que a deputada Maria Mendonça (PP) também se somará nesta luta, que tem sido uma grande parceira na Frente Parlamentar, como também o deputado Georgeo Passos (PTC), para que a gente continue buscando melhorar as ações e atividades de atenção à mulher”, completou a Procuradora Especial, Goretti Reis.


Por sua vez, a deputada estadual Ana Lúcia falou do desafio de atuar como Procuradora Adjunta e da iniciativa da Alese de instalar a Procuradoria. “É muito importante, a Bahia já a tem há alguns anos porque prioriza os projetos de lei que favorecem a promoção e proteção da mulher, num quadro de muita violência doméstica contra a mulher, principalmente as mais jovens e negras. Vamos intensificar mais as políticas públicas e vamos tornar a Alese ainda mais atuante com relação a esta bandeira da liberdade, da autonomia e da emancipação feminina”.
Da Agência de Notícias Alese
 

Foto: Jadílson Simões

 

Produção: Agência Sergipe - www.agenciasergipe.net.br

 
 

Implementação da Procuradoria da Mulher fará parte da

programação do Dia Internacional da Mulher na Alese

 

 

A deputada estadual Goretti Reis ocupou a tribuna na manhã de hoje, 7 de março, para falar sobre a programação que será realizada, amanhã, 8, Dia Internacional da Mulher. Entre as atividades, acontecerão as palestras: Retrospectivas histórica, avanços das lutas das mulheres que será proferida pela jornalista e pesquisadora da área de gênero, Cláudia Santiago Giannotti e indicada pela deputada Ana Lucia, e, sobre Família, violência doméstica e Lei Maria da Penha, apresentado pela advogada e membro da comissão de defesa dos Direitos da Mulher da OAB, Valdilene Oliveira Martins, solicitada por Goretti Reis.

 

Amanhã será um marco para a história da Alese, acontecerá a implementação da Procuradoria Especial da Mulher, da Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe, que foi criada dia 22 de fevereiro com a finalidade de promover mais efetiva a participação e a defesa dos direitos das mulheres, sendo as respectivas competências e regras de funcionamento estabelecidas na forma desta Resolução.A Procuradoria compete zelar pela participação mais efetiva das deputadas nos órgãos e nas atividades da Assembléia Legislativa, além de receber, examinar e encaminhar aos órgãos competentes denúncias de violência e discriminação contra a mulher.


Da Assessoria da Parlamentar

 

Produção: Agência Sergipe - www.agenciasergipe.net.br

 
 
 
 

Permut Bank promove café da manhã em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

 
O evento faz parte da campanha “competência não tem gênero”

 

 

A empresa inovadora em Sergipe, Permut Bank promoveu hoje, dia 08 de março, no Quality Hotel uma manhã de palestras em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. O evento terá início às 8 horas, com um café da manhã oferecido às convidadas como boas vindas, recepcionado pela diretora da Permut Bank, Márcia Cruz. Em seguida foram apresentadas palestras sobre os desafios da mulher em empreender, a imposição da maternidade e o silêncio feminino.


Além de Márcia Cruz que intermediou as palestras, a publicitária Grace Franco foi convidada a explanar sobre a condição feminina, juntamente com as empresárias, Priscila Santana, da Fórmula Exata e Mônica Andrade, proprietária do ramo imobiliário.


Para Márcia o evento proporcionou uma integração entre as profissionais de variadas categorias. “O evento foi pensado especialmente para nós mulheres”, explicou.


O Permut Bank vem crescendo em Sergipe e já conta com cerca de 90 empresas cadastradas, o que significa que o mercado vem aceitando a modalidade de serviços. O evento também contou com sorteios e entrega de presentes numa manhã descontraída através da troca de experiências entre as mulheres.


Estiveram presentes ao evento a coordenadora das Câmaras Empresariais da Fecomércio, Crys Moura e gerente, Gizelma Lima, as jornalistas Chris Brotas, Cláudia Meireles do portal de notícias www.agenciasergipe.net.br/exclusiva) e Luciana Couto, além de empresárias de variados segmentos, dentre outras.
 

Por Cláudia Meireles

 

Produção: Agência Sergipe - www.agenciasergipe.net.br

 
 
 

Programação musical em homenagem à mulher

começa no Shopping Jardins
 

O acesso às apresentações é gratuito

 

O mês da mulher receberá uma atenção especial do projeto Viva Música, que acontece no Shopping Jardins. É que a partir de hoje até o último mês de março, diversos artistas se apresentarão trazendo canções que se tornaram sucesso na voz de mulheres.

Na noite deste domingo (4), duas atrações contemplarão o público do centro de compras. Na praça de alimentação Arcos, Felipe Sandes traz diversas músicas marcantes da cantora de MPB Marisa Monte. Já na Praça Jardins Igor Côrtes e Gabriel Farani do grupo Duo Descafeinados animarão os presentes com sucessos de Cássia Eller.


De 7 a 15 de março, durante os dias de quarta e quinta-feira, os frequentadores do shopping também serão agraciados com shows de músicos do estado. Amorosa se apresenta no dia 7, cantando canções autorais e de grandes artistas da música nacional, No dia 8, quando é comemorado o Dia Internacional da Mulher, vai ser a vez Maysa Reis e Raquel Diniz agitarem o público nas Praças Jardins e Arcos, respectivamente.

Fernanda de Aquino e Ronise Ramos ficarão responsáveis pela trilha sonora do Shopping Jardins nos dias 14 e 15, que continuará até o dia 25 (último domingo de março) presenteando o público com hits que se tornaram sucesso embalados pela voz feminina.

Vale lembrar que o acesso às apresentações é gratuito.

Redação Alô News.

 

Produção: Agência Sergipe - www.agenciasergipe.net.br

 
 
Internacional
 

'Minha vida foi roubada': mulher é induzida pela mãe a

acreditar por anos em um 'mundo estranho'
 

 

 

 
Todos nós em defesa da MULHER
 
 

Significado de Feminicídio

e o que a Lei diz

 

Conheça algumas formas de agressões que são consideradas violência doméstica no Brasil

 

O que diz a Lei Maria

 da penha

 

Checamos quatro frases sobre os riscos do aborto

 

 

Colunas
 
 

a
 
a
 

Tratamentos de Estética Faciais

 

Rabo de cavalo mais lindo do mundo com

tranças no topo da cabeça: veja como fazer