Como acalmar uma calopsita

 

Os pássaros têm ganhado cada vez mais o coração dos humanos que buscam uma companhia ou um novo amiguinho.

Entre os tipos de aves mais procuradas, as calopsitas vêm aparecendo cada vez mais nos lares atualmente. Muito inteligentes, esses pássaros aprendem vários truques e são capazes de se comunicar com seus humanos muito bem.

Se aproxime da calopsita

Uma dica muito importante para quem quer amansar uma calopsita é se aproximar do bichinho.

 

Se ela vive em uma gaiola, traga a casinha dela para perto de você, mas sem movimentos bruscos, do contrário ela poderá ficar ainda mais arisca por estar assustada.

Se sua calopsita é criada livre, sem gaiolas, tente se aproximar dela com cuidado, para que a ave não bique ou ache que você poderá machucá-la.
Ofereça petiscos que ela gosta

Sabe aquele ditado que diz que o caminho para conquistar o coração de alguém passa pelo estômago? Para a calopsita isso é uma grande verdade.

Quer amansar seu bichinho? Ofereça petiscos que ela gosta, como sementes de girassol ou frutas todos os dias. Com o passar do tempo, você verá como a aproximação entre vocês dois será muito mais fácil.

Prefira locais tranquilos

Os pássaros são muito sensíveis a ambientes barulhentos ou com muitas pessoas. Por isso, se você quiser amansar suas calopsitas, prefira que esse “treinamento” aconteça sempre em locais mais tranquilos e silenciosos, para que a ave não se assuste.
Faça carinho na calopsita

Enquanto estiver alimentando sua calopsita filhote, faça carinho em sua cabeça e corpo, acostumando o animalzinho à sua presença e, principalmente, ao seu toque. Assim como acontece com os humanos, as carícias podem acalmar os animais e deixá-los ainda mais felizes.
Ofereça seus dedos para que ela suba

Depois que começar a ganhar a confiança de sua calopsita, o próximo passo é, sempre que for alimentar o bichinho ou trocar sua água, colocar seus dedos nos pés da ave, para ver se ela subirá em seus dedos e permitirá que você a pegue.

Nas primeiras vezes, é natural que a ave fique nervosa e se recuse a subir mas, com persistência, você vencerá a resistência dela.
Tente permanecer com a calopsita em seus dedos

Sua calopsita finalmente aceitou subir em seus dedos? Ótimo! Agora, você deve tentar que ela permaneça por mais tempo em seus dedos. Tente andar com ela por alguns cômodos de sua casa, para ver se o animal fica menos arisco com você.

Mas cuidado: para que o bichinho não se machuque caso decida voar, não faça esse treinamento em cômodos como a cozinha ou o banheiro. Não fique perto do fogão, de vasos sanitários ou de ventiladores de teto.

Deixe também as portas e janelas de sua casa fechadas, assim ela não poderá fugir caso fique com medo e saia voando de seu dedo.
Comece o treinamento enquanto ela for um filhote

Quer amansar mais facilmente seu bichinho? Então comece o treinamento com uma calopsita filhote. Nessa fase, o animal estranha menos a presença de seu humano, e pode ser adestrada mais rapidamente.
Tenha paciência

Amansar calopsitas, sejam elas adultas ou filhotes, não é uma tarefa das mais fáceis. O animal pode bicar, fugir e dificultar o treinamento.

Em alguns momentos, você pode achar que nada dará certo, que sua calopsita será arisca para sempre. Mas não desista.

As calopsitas são aves muito carinhosas, e quando bem treinadas elas não só vão voar para o seu ombro ou para o seu dedo, como estarão ao seu lado o dia todo. É possível que você veja sua calopsita andando atrás de você, acompanhando cada passo e pedindo sua atenção.

Ficou encantado por essa ave tão inteligente? Confira nossa seção com fotos de calopsitas.

Já adotou sua amiguinha, mas não sabe ainda como deve chamar o bichinho? Tudo bem. Acesse nossa página que dicas dos melhores nomes para calopsitas.

 
 
 
 

 
 
 
       
Rações Pet Higiene e limpeza Acessórios para Alimentacao Medicina e saúde Caixa de areia
 
 

 

Situado em uma serra de Itabaiana, cidade do estado de Sergipe, o Parque dos Falcões é um ponto turístico bem atraente, a 45 Km da capital de Sergipe, Aracaju, foi construído José Percílio e Alexandre Correia no ano de 1999 com autorização do IBAMA. Cuidando de mais de 300 aves, entre, pombos, falcões, corujas, gaviões socós-boi etc. O Parque dos Falcões é referência mundial no manejo, reprodução e reabilitação desses animais.

agendadas e ocorrem somente às 9h e às 14h.

Faça seu agendamento através dos telefones: (79) 99962-8396 | 99885-2522 | 99945-9020.

As visitas turísticas incluem apresentação oral e audiovisual da história, missão e técnicas de manejo do Instituto; apresentação dos hábitos de vida das aves de rapina; e fotografias com os animais em punho.

 

Site: http: www.parquedosfalcoes.com.br/

 
 
 
 
Descrição
 

Rottweiler

Eles são grandes, fortes e apesar da cara de mau são cães muito amorosos e extremamente apegados aos donos. Uma raça muito antiga, os antecessores dos Rottweilers acompanhavam as legiões romanas pelos caminhos percorridos. Uma das paradas obrigatórias dos soldados ficava do sul da Alemanha, um centro comercial e administrativo muito importante que se desenvolveu ainda mais com a presença dos romanos. Os prédios mais importantes receberam telhas vermelhas e a região passou a ser conhecida como Rottwill que significa vila vermelha. Com o tempo o nome mudou para Rottweil e é conhecida assim até hoje. Bom, já deu para ver a origem do nome da raça Rottwiler, né? Por volta de 250 D.C os romanos foram expulsos da região por tribos locais e muitos dos cães foram deixados para trás, a população passou então a criá-los. O cachorro Rottwiler chegou a América em 1928 e foi registrado pelo American Kennel Club em 1931.

 
 

Pug

Essa raça é uma das mais antigas que existe. Foram encontrados vestígios de cães muito parecidos com o Pug datados de 1700 antes de Cristo! No entanto não se tem certeza absoluta de sua origem, existem teorias de que o Pug surgiu do cruzamento de diversas outras raças como o Pequinês ou ainda o Mastife Francês. O que se tem certeza é de que os Pugs surgiram na China e eram cachorros pertencentes à realeza. Esses cãezinhos foram levados para a Holanda e a partir de lá atingiram outros países da Europa onde receberam diferentes nomes. Na França ficaram conhecidos como Carlin, na Espanha Dugollo, na Alemanha Mops e na Itália eram chamados de Caganlino. Os Pugs chegaram aos EUA após a Guerra Civil e foram reconhecidos como raça pelo Kennel Club em 1885.

 
 

Azul Russo

Conhecido também como “o tímido desconfiado”, o gato azul russo é, como o nome já indica, originário da Rússia, muito provavelmente da cidade portuária de Arkhangelsk e também da Escandinávia. Passou a ser levado para outras partes da Europa em 1860, tendo a Inglaterra como principal destino. Um gato afável e tímido, ele é muito sensível às emoções humanas e é muito bom em se entreter sozinho. Por ser um gato muito tranquilo e independente, se dá bem com pessoas que moram sozinhas e idosos.

Sua personalidade desconfiada e tímida faz com que não seja um bom companheiro para crianças, principalmente as que são mais agitadas, podendo se sentir intimidado e assustado.

 
 

Maine Coon

Com um comprimento que pode chegar a 100 centímetros, a raça Maine Coon é uma das maiores raças de gatos domésticos.

Ele é considerado a raça americana de pelo longo mais antiga. Sua origem é desconhecida, mas a suspeita é que ele seja um cruzamento de gatos europeus de pelo longo com gatos americanos de pelo curto.

O gato gigante Maine Coon é conhecido no mundo como “gigante gentil”. Além disso, ele é muito conhecido por sua habilidade em caçar ratos. No Brasil, só há registro desses gatos nas últimas duas décadas.